Covid-19: Governo dos EUA vai enviar cheques com dinheiro às famílias

  • Lusa
  • 17 Março 2020

O Presidente Donald Trump disse acreditar que as medidas que estão a ser tomadas permitirão à economia dos Estados Unidos reagir positivamente logo que passe a crise sanitária do novo coronavírus.

O Presidente dos EUA, Donald Trump, ordenou o envio imediato de cheques aos cidadãos, entre outras medidas, para conter o impacto económico do vírus, e diz que o país vai recuperar logo a seguir à pandemia.

“Vamos enviar cheques aos americanos imediatamente (…) Os americanos precisam de dinheiro agora”, disse o secretário do Tesouro dos EUA, Steve Mnuchin, referindo-se às instruções para atenuar o impacto da crise sanitária na economia do país dadas pelo Presidente num briefing. “Queremos garantir que têm dinheiro no bolso rapidamente”, explicou Mnuchin, numa declaração que fez de imediato subir as bolsas de valores nos EUA, que têm estado em queda vertiginosa nos últimos dias.

No mesmo briefing, o Presidente disse acreditar que as medidas que estão a ser tomadas permitirão à economia dos Estados Unidos reagir positivamente logo que passe a crise sanitária do novo coronavírus. “Se fizermos isto bem, o nosso país poderá recuperar e começar a rolar de novo rapidamente”, disse Donald Trump.

A Casa Branca pediu esta terça-feira ao Congresso para aprovar um pacote massivo de emergência, para ajudar empresas e contribuintes a lidar com a crise económica decorrente da pandemia.

O plano de Mnuchin implica um investimento de cerca de 850 mil milhões de dólares (quase 800 mil milhões de euros), que o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell prometeu aprovar rapidamente.

“O Senado não irá adiar decisões que são fundamentais para ajudar a nossa economia a enfrentar esta tempestade”, disse esta terça-feira Mitch McConnell. A proposta da Casa Branca tem uma dimensão superior à do esforço estatal durante o resgate bancário de 2008 e inclui uma enorme redução de impostos aos assalariados, bem como fundos para setores estratégicos que serão profundamente afetados pela pandemia.

O Governo norte-americano anunciou ainda que vai expandir de imediato a cobertura dos sistemas de telemedicina em todo o país, para ajudar os idosos a resolverem os seus problemas de saúde sem saírem de casa.

A nova opção permitirá que milhões de idosos tenham acesso a cuidados médicos em ambiente protegido, ao mesmo tempo que permite aos médicos uma maior agilidade e segurança no tratamento de casos.

“Isto vai ajudar a impedir a propagação do vírus”, disse o administrador do programa Medicare, Seema Verma. As autoridades sanitárias estão a pedir a familiares dos idosos menos competentes com tecnologia para ajudarem estes doentes a colaborar com os médicos nas consultas em ambiente virtual.

O risco de doença grave causada pelo novo coronavírus é maior para pessoas idosas e com problemas de saúde, como sejam doenças pulmonares, diabetes ou questões cardíacas. Até agora, o sistema de telemedicina no programa Medicare era muito limitada, estando circunscrita às áreas rurais e mais isoladas. A proposta do Governo de Donald Trump é que o sistema fique agora muito mais disponível, para um maior número de utentes e em mais regiões do país.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Covid-19: Governo dos EUA vai enviar cheques com dinheiro às famílias

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião