Ana Botín: “Muito obrigada, António. Foi um privilégio ter sido tua colega e amiga”

Foi assim que Ana Botín, presidente do grupo Santander, se despediu de Vieira Monteiro, que faleceu esta quarta-feira vítima do novo coronavírus.

“Muito obrigada, António. Foi um privilégio ter sido tua colega e amiga”. Foi assim que Ana Botín, presidente do grupo financeiro espanhol Santander, se despediu de Vieira Monteiro, que faleceu esta manhã, aos 73 anos, vítima do coronavírus.

“Esta manhã perdemos um grande líder, profissional e querido amigo António Vieira”, escreveu Ana Botín numa mensagem partilhada nas redes sociais, em que lamenta a morte de quem “era apaixonado pela vida e pelo seu trabalho” e envia sentidas condolências à família de Vieira Monteiro.

“Até recentemente nosso CEO, juntou-se a nós há 20 anos, e foi parte da minha equipa desde o início. Esta manhã, quando estava a falar com Pedro Castro e Almeida, o nosso CEO em Portugal, e mais tarde com a Rita, a filha de António, eu senti pessoalmente a verdadeira dimensão desta crise. A Rita não vai poder comparecer ao funeral uma vez que também tem Covid-19. Eu e os meus colegas — embora saudáveis – não vamos poder ir também”, disse.

A presidente do Santander também enviou uma mensagem de apelo a todos no combate à pandemia. “Quero dizer a todos na nossa família Santander e além, a todas as comunidades, CEO e governos, vamos trabalhar em conjunto para salvar vidas e para salvar empregos que podem ajudar a salvar vidas”, afirmou.

Vamos cada um de nós contribuir naquilo em que somos melhores, e esquecer as ideologias e partidos políticos. Somos uma família global. Trabalhando em conjunto podemos resolver isto mais rapidamente e recuperar mais rapidamente”, reforçou Ana Botín.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ana Botín: “Muito obrigada, António. Foi um privilégio ter sido tua colega e amiga”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião