CEO da Galp recebeu mais. Salário ficou perto de 1,8 milhões

Carlos Gomes da Silva recebeu mais pelo cargo de presidente executivo da petrolífera portuguesa. Remuneração aumentou 1,5% em 2019.

Carlos Gomes da Silva foi aumentado no ano passado. A remuneração global do presidente executivo da Galp Energia aumentou em 1,5%, aproximando-se dos 1,8 milhões de euros, revelou a petrolífera portuguesa em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Depois de em 2018 ter recebido 1,75 milhões de euros, no ano passado, e num período em que os lucros da empresa que lidera encolheram em 21% para os 560 milhões de euros, o salário do CEO cresceu para 1,778 milhões de euros.

A remuneração fixa foi de 980 mil euros, mas entre remunerações variáveis, PPR e outros, o valor total foi de quase o dobro. O bónus do ano passado foi de 181 mil euros, inferior aos 227 mil euros do prémio plurianual. Só com PPR recebeu 245 mil.

Gomes da Silva recebeu quase o dobro do administrador executivo mais bem pago da Galp Energia. Thore E. Kristiansen arrecadou 923 mil euros, enquanto José Carlos Silva auferiu 840 mil euros.

No total, a administração executiva da Galp Energia recebeu 6,629 milhões de euros, com 3,6 milhões correspondentes à remuneração fixa e os restantes três milhões foram bónus.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CEO da Galp recebeu mais. Salário ficou perto de 1,8 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião