Dona do Minipreço dá “bónus” de 250 euros aos trabalhadores

Os colaboradores do grupo DIA Portugal vão receber um "bónus" de 250 euros em abril, como forma de "reconhecimento pela sua dedicação e esforço durante a crise do coronavírus", prometeu a empresa.

A DIA Portugal, dona das marcas Minipreço, Clarel e Mais Perto, vai pagar 250 euros a cada um dos seus colaboradores, como “reconhecimento pela sua dedicação e esforço durante a crise do coronavírus”. Em termos globais, serão cerca de 1,3 milhões a serem distribuídos pelos funcionários.

Num vídeo dirigido aos trabalhadores, o presidente executivo da DIA Portugal destaca o papel fundamental dos colaboradores para “servirem a população portuguesa em circunstâncias particularmente difíceis” e, por isso, anuncia que “o DIA decidiu partilhar cerca de 1,3 milhões de euros entre todos os colaboradores“, onde se incluem funcionários de lojas próprias, franquias e equipas de apoio.

Todos receberão, no próximo mês de abril, uma gratificação especial de 250 euros”, disse Miguel Guinea. A atribuição deste “bónus” é justificada como forma de agradecimento pelo esforço dos colaboradores para que “milhares de portugueses conseguissem abastecer os seus lares e alimentassem as suas famílias”, acrescenta.

Em Portugal, a retalhista conta com um total de 3.668 colaboradores e 256 franqueados que empregam 1.649 pessoas, que trabalham numa rede de 641 lojas e 3 armazéns por todo o país.

Esta não é a primeira empresa a dar “bónus” aos seus trabalhadores pelo trabalho desempenhado durante a pandemia. Também a PSA Sines decidiu dar mais 300 euros aos seus trabalhadores, de forma a ajudar os funcionários a ultrapassarem os constrangimentos provocados pelo novo coronavírus.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Dona do Minipreço dá “bónus” de 250 euros aos trabalhadores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião