BRANDS' PESSOAS Uma pandemia que está a criar um ritmo de mudança sem precedentes

  • BRANDS' PESSOAS
  • 30 Março 2020

Sérgio Ferreira , EY Advisory Services, Executive Director, deixa algumas sugestões de reação e planeamento para as empresas conseguirem minimizar o impacto da pandemia.

O impacto deste surto é, e continuará a ser, muito fluído à medida que se afasta do Oriente para outros mercados. As empresas devem preparar-se para todos os cenários para mitigarem o impacto.

A rápida propagação desta pandemia provocou uma turbulência económica global. O foco inicial na Ásia e as implicações para a cadeia global de fornecimento atingiram fortemente os mercados de ações globais.

Mas a propagação global está a ter um impacto muito mais alargado. Muitas operações viradas para o consumidor enfrentam um encerramento total, enquanto outras estão a aumentar para fazer face à compra de pânico e à necessidade de manter a oferta de bens essenciais. A velocidade da mudança é uma perturbação em si mesma.

As expectativas iniciais eram de que a resposta rápida da China e números reduzidos noutros locais limitariam o impacto a um curto choque para o consumo chinês, a cadeia de produção e a cadeia de abastecimento. Foi a primeira fase – contenção – há pouco mais de um mês.

"Espera-se uma perda de mais de $1 trilião na atividade económica global em 2020, com o potencial para que esta duplique. ”

À medida que a propagação do vírus cresceu, o foco mudou para medidas de adiamento e o impacto económico foi empurrado para além de um trimestre, à medida que os mercados bolsistas caíram. Foi a segunda fase – endémica – há poucas semanas.

Agora, uma pandemia global fechou fronteiras, isolou comunidades inteiras e viu uma polarização entre a compra de pânico do essencial e uma procura em colapso de bens discricionários – a terceira fase.

As necessidades imediatas das empresas de produtos de consumo e retalho prendem-se com a navegação na atual incerteza. Muitos estão a apostar em operações para reagir à fluidez da situação, enquanto outros estão a suspender ou adiar as suas atividades até que a procura retome. Mas mesmo na atual incerteza, estão a surgir mudanças a longo prazo na forma como as pessoas consomem, em que os governos atuam e as empresas operam.

Espera-se uma perda de mais de $1 trilião na atividade económica global em 2020, com o potencial para que esta duplique. As compras de bens essenciais por pânico suscitaram escassez e limitações ao horário de funcionamento, à medida que as lojas reabastecem. Os canais digitais estão a suportar o negócio, com algumas empresas a investir fortemente em capacidades de entrega e reabastecimento. Encerramentos de lojas forçados ou voluntários, estão a ter um efeito devastador no vestuário, restaurantes e empresas de luxo.

Há assim uma necessidade de reagir ao agora, mas planear para o que vem a seguir, e o que virá mais além.

Reaja AGORA

Criou uma equipa de resposta rápida e manteve as partes interessadas informadas? Construa uma equipa interfuncional para entregar o plano de continuidade do negócio de forma rápida e em plena consulta com as principais partes interessadas. Crie um quadro de sprint responsivo para a ação e comunicações.

Está a pôr as pessoas em primeiro lugar e a manter a comunicação? Adote e comunique as principais práticas de segurança; apoie ativamente as comunidades de forma protegida e consciente. Avalie e quantifique os impactos do cenário no bem-estar dos trabalhadores e na comunidade.

Recupere – a SEGUIR

Tem um plano para a perturbação da oferta e da procura? Desenvolva um plano de contingência e um plano de comunicações para estrangulamentos ou incumprimentos de fornecedores. Crie uma visão holística da cadeia de fornecimento e identifique ações para pontos-chave da dor.

Está a manter liquidez e o fluxo de caixa? Realoque rapidamente o capital para onde possa ser necessário. Mantenha previsões semanais de dinheiro para proporcionar continuidade em todo o negócio. Mantenha-se informado sobre os apoios disponibilizados para as empresas.

Tem a capacidade de criar e testar vários cenários? Utilize simulações para que seja definida uma rota de resposta para múltiplas contingências. Atribua líderes de cenário dentro das equipas de planeamento de continuidade de negócio, para permitir o controlo da resposta.

Cresça – para ALÉM de

Pode transformar respostas a curto prazo em resiliência a longo prazo? Identifique e planeie impactos que possam tornar-se o novo normal ao longo do tempo. Identifique e integre medidas permanentes de segurança de falha para construir a resiliência futura. Avalie os impactos na marca e na confiança, e planeie mudanças regulamentares pós-crise.

Se tem interesse em receber comunicação da EY Portugal (convites, newsletters, estudos, etc), por favor clique aqui.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Uma pandemia que está a criar um ritmo de mudança sem precedentes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião