Famílias no mercado regulado vão ter desconto de 3% na fatura da luz por causa da pandemia

Esta descida representará uma poupança de 2,92 euros para um casal com dois filhos, numa fatura média mensal de 91,50 euros.

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) aprovou esta quarta-feira uma descida do preço da tarifa de energia aplicada ao mercado regulado, de 5 euros por MWh. Isto na sequência da baixa de preços de energia ocorrida no mercado ibérico de eletricidade (MIBEL).

Diz o regulador que a alteração desta componente da tarifa de venda a clientes finais traduz-se numa redução de cerca de 3% no total da fatura de eletricidade dos consumidores. Assim, esta descida representará uma poupança de 2,92 euros para um casal com dois filhos, numa fatura média mensal de 91,50 euros. Já para um casal em filhos a redução é de 1,11 euros numa fatura de 37,62 euros.

A decisão impactará apenas cerca de um milhão de clientes que ainda permanecem no mercado regulado, deixando de fora os mais de cinco milhões de outros consumidores do mercado livre.

No entanto, diz a ERSE, “dada a continuada tendência de descida dos preços no mercado grossista, é expectável que também os comercializadores do mercado liberalizado continuem a refletir essa redução nas suas ofertas comerciais, permitindo que os consumidores do mercado liberalizado também beneficiem de uma descida de preços”.

“Observou-se que os preços da energia elétrica nos mercados grossistas se têm revelado inferiores à previsão considerada para efeitos da fixação da tarifa de energia aprovada pela ERSE para o ano de 2020, que foi de 58,45 euros/MWh, apontando as previsões mais recentes para um preço médio de 44,77 euros/MWh”, justificou a ERSE, perspetivando que esta situação se deva manter face ao “momento excecional decorrente da pandemia provocada pela COVID-19”.

A redução no preço da eletricidade produz efeitos a partir do dia 7 de abril, informa o regulador, avisando no entanto que os consumidores podem não sentir os efeitos desta redução imediatamente na sua fatura, devido à necessidade de atualização dos sistemas do comercializador de último recurso (SU Eletricidade, antiga EDP Serviço Universal.

“A medida aplica-se aos clientes do mercado regulado, em particular os clientes vulneráveis, assegurando que os consumidores beneficiam da redução dos preços nos mercados grossistas”, rematou o regulador.

(Notícia atualizada)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Famílias no mercado regulado vão ter desconto de 3% na fatura da luz por causa da pandemia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião