Boris Johnson sai dos cuidados intensivos. “Está muito bem disposto”, diz porta-voz

O primeiro-ministro britânico, infetado com coronavírus, saiu dos cuidados intensivos, anunciou o seu porta-voz. "Ele está muito bem-disposto", disse.

O primeiro-ministro britânico saiu dos cuidados intensivos do Hospital St. Thomas, onde estava internado desde segunda-feira, dias depois de confirmar que estava infetado com o novo coronavírus, avança o The Guardian (conteúdo em inglês). A notícia foi dada por um porta-voz de Boris Johnson, que disse ainda que este está “muito bem-disposto”.

“O primeiro-ministro foi transferido esta noite dos cuidados intensivos de volta para a ala [de tratamento normal], onde receberá um tratamento cuidadoso durante a fase inicial da sua recuperação. Ele está muito bem-disposto”, disse o porta-voz, citado pelo jornal britânico.

O secretário de Estado da Saúde do Reino Unido foi o primeiro a reagir a esta notícia. “Tão bom que o primeiro-ministro esteja fora dos cuidados intensivos e a caminho da recuperação. O NHS (National Health Service) está aqui para todos nós e eu sei que as equipas fantásticas do NHS têm-lhe dado os devidos cuidados de saúde“, escreveu Matt Hancock, no Twitter.

Minutos depois foi a vez de Donald Trump. “Boas notícias: O primeiro-ministro britânico Boris Johnson acabou de sair dos cuidados intensivos. As melhoras, Boris!!!”, escreveu o Presidente norte-americano na sua conta pessoal do Twitter.

Boris Johnson foi internado no domingo à noite por falta de ar, um agravamento dos sintomas do coronavírus, após vários dias em auto isolamento e com febre. Contudo, na segunda-feira acabou por ser transferido para os cuidados intensivos, onde ficou a receber oxigénio, mas sem estar ligado a um ventilador.

(Notícia atualizada às 19h55 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Boris Johnson sai dos cuidados intensivos. “Está muito bem disposto”, diz porta-voz

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião