Generali reduz salários da administração e paga dividendos em duas parcelas

  • ECO Seguros
  • 12 Abril 2020

A seguradora confirma proposta de distribuição de dividendos sobre lucros de 2019 e anuncia que 20% da parte fixa dos salários de executivos do grupo irá reforçar um fundo internacional.

Respondendo a recomendações prudenciais emanadas das autoridades de regulação europeia e italiana (EIOPA e IVASS), a Assicurazioni Generali anuncia que mantém a proposta de distribuição de dividendos relativos ao exercício de 2019, pelo montante de 0,96 euros por ação, mas o procedimento será concretizado em duas vezes.

A decisão foi tomada em reunião do conselho de administração (CA), dispondo que a primeira parcela (0,50 euros por ação) será paga em maio e, a segunda fatia, correspondente a 46 cêntimos por título será disponibilizada aos acionistas num momento mais próximo do final do ano. Esta parcela final fica sujeita a uma avaliação por parte do CA, da posição de capital da Generali e demais requisitos regulatórios (incluindo os que nessa altura regulem a distribuição de lucros), detalha a instituição sediada em Turim.

Enquadrando a decisão, a Generali assume que o impacto final da crise (pela pandemia covid-19) é ainda incerta, mas também não vê razões para duvidar da estabilidade do grupo segurador, cujo rácio de solvência se mantém sólido e dentro do alvo operacional. Adicionalmente, o CA da seguradora italiana reconhece que a distribuição de dividendos constitui fonte de receita importante para muitos investidores institucionais, investidores do segmento retalhista, em particular no contexto atual, sustenta o comunicado do board liderado por Gabriele Galateri di Genola.

O grupo fechou exercício de 2019 com resultado operacional histórico. No entanto, ciente da situação global provocada pela emergência da pandemia, o presidente executivo, os membros do comité executivo e os diretores com responsabilidades estratégicas decidiram voluntariamente abdicar de 20% do montante da base fixa salarial, contando de abril até ao final de 2020.

O dinheiro reunido com esta medida irá reforçar os 100 milhões de euros que a Generali já disponibilizou para um fundo internacional de sua iniciativa, conforme anunciado me março.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Generali reduz salários da administração e paga dividendos em duas parcelas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião