Contrato de 20 milhões de euros para compra de máscaras foi cancelado pela DGS

  • ECO
  • 24 Abril 2020

Cancelamento resulta de a empresa não ter a certeza se consegue fornecer o material de proteção previsto no contrato. Seria o maior contrato de compra de material de proteção individual.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) cancelou uma compra de 15 milhões de máscaras cirúrgicas e 2 milhões de respiradores no valor de 19,7 milhões de euros, avança a TSF.

A “impossibilidade de ter acesso aos bens em causa” foi a justificação para revogar o contrato, diz DGS. “O contrato foi revogado uma vez que existe a incerteza no fornecimento e nas condições de realização da transação dos bens em causa (equipamentos de proteção individual) no âmbito do Covid-19, comprometendo a sua boa execução”, explicou por escrito a DGS, à TSF.

O contrato em questão foi assinado no fim de março e previa a compra de milhões de máscaras e respiradores. O prazo de execução era de 288 dias, mas o contrato acabou por ser revogado. A TSF contactou a empresa, FHC – Farmacêutica, que recusou avançar qualquer esclarecimento sobre o porquê deste cancelamento.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Contrato de 20 milhões de euros para compra de máscaras foi cancelado pela DGS

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião