Groundforce mantém lay-off até 1 de junho

  • Lusa
  • 29 Abril 2020

Groundforce vai manter o trabalho “reduzido a 05%” e prolongar o período de lay-off, ao qual aderiu em 03 de abril, durante mais 30 dias, para “manutenção de todos os postos de trabalho”.

A Groundforce Portugal anunciou que vai prolongar o período de lay-off até 01 de junho, devido à crise económica provocada pela pandemia de Covid-19, por considerar que ainda não estão reunidas as condições para retomar as operações.

Em comunicado, a empresa refere que o mês de maio “continuará a ser muito complexo”, uma vez que não são esperados “mais do que cerca de 800 movimentos”, na sequência das interdições do espaço aéreo.

Por esse motivo, a Groundforce vai manter o trabalho “reduzido a 05%” e prolongar o período de lay-off, ao qual aderiu em 03 de abril, durante mais 30 dias, para “manutenção de todos os postos de trabalho”.

A empresa de handling, responsável por operações terrestres em aeroportos, refere que os funcionários já foram informados sobre a prorrogação deste regime, no qual estão inseridos 2.385 trabalhadores, segundo a nota divulgada.

A Groundforce acrescenta que 311 trabalhadores vão continuar “nas operações em cada aeroporto, ao serviço, fora do lay-off e sem redução de salário”.

Já as chefias operacionais e os diretores da empresa “ficarão em 20% de redução do período normal de trabalho”, enquanto os administradores executivos vão manter uma redução de 30% da remuneração.

O lay-off simplificado é uma das medidas de resposta à crise provocada pela pandemia de Covid-19.

Os trabalhadores têm direito a receber dois terços da sua remuneração normal ilíquida com limites mínimo de 635 euros e máximo de 1.905 euros, sendo o valor financiado em 70% pela Segurança Social e em 30% pela empresa.

Podem ter acesso as empresas em situação de crise empresarial comprovada devido ao encerramento total ou parcial por determinação legislativa ou administrativa, ou devido à interrupção das cadeias de abastecimento globais ou da suspensão ou cancelamento de encomendas.

Também podem aderir ao apoio as empresas com quebra de pelo menos 40% da faturação nos 30 dias anteriores, com referência à média mensal dos dois meses anteriores a esse período, ou face ao período homólogo do ano anterior ou, para quem tenha iniciado a atividade há menos de 12 meses, à média desse período.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Groundforce mantém lay-off até 1 de junho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião