União Europeia vai reforçar combate a crescente atividade cibernética maliciosa

  • Lusa
  • 30 Abril 2020

Desde o início da pandemia foram detetadas campanhas significativas de distribuição de ‘phishing’ e ‘malware’”, entre outras atividades cibernéticas criminosas.

A União Europeia vai reforçar o combate a atividades cibernéticas maliciosas, que aumentaram durante a pandemia da covid-19, afetando nalguns casos infraestruturas críticas essenciais no combate à doença, disse esta quinta-feira o chefe da diplomacia europeia.

Numa declaração divulgada em nome da UE sobre as “atividades cibernéticas maliciosas que exploram a pandemia do coronavírus”, o Alto Representante da União para a Política Externa e de Segurança, Josep Borrell, exorta também “todos os países a tomarem as medidas adequadas contra os atores que conduzam tais atividades a partir do seu território, em conformidade com o direito internacional”.

“À medida que a pandemia do coronavírus se espalha pelo mundo, a União Europeia e os seus Estados-Membros têm observado ameaças cibernéticas e atividades cibernéticas maliciosas dirigidas a operadores essenciais nos Estados-Membros e nos seus parceiros internacionais, incluindo no setor da saúde”, lê-se na declaração desta quinta-feira divulgada pelo Serviço Europeu de Ação Externa.

O corpo diplomático da UE aponta que, “desde o início da pandemia, foram detetadas campanhas significativas de distribuição de ‘phishing’ e ‘malware’”, entre outras atividades cibernéticas criminosas.

Sublinhando que “qualquer tentativa de entravar a capacidade das infraestruturas críticas é inaceitável”, a UE e os seus Estados-membros “condenam este comportamento malicioso no ciberespaço, expressam solidariedade com todos os países que são vítimas de atividades cibernéticas maliciosas e sublinham o seu apoio contínuo ao aumento da resiliência cibernética global”.

“A União Europeia e os seus Estados-Membros partilham uma visão comum das ameaças cibernéticas e estão decididos a prevenir, desencorajar, dissuadir e responder às mesmas, nomeadamente através do intercâmbio contínuo de informações e da cooperação no tratamento de incidentes, bem como da utilização do seu quadro para uma resposta diplomática conjunta da UE a atividades cibernéticas maliciosas”, afirmou o Alto Representante da União para a Política Externa e de Segurança.

Para o efeito, garante Josep Borrell, “a União Europeia e os seus Estados-Membros reforçarão ainda mais a sua cooperação a nível técnico, operacional, judicial e diplomático, inclusive com os seus parceiros internacionais”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

União Europeia vai reforçar combate a crescente atividade cibernética maliciosa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião