Apostas online cresceram 50% em Portugal no primeiro trimestre

  • Lusa
  • 2 Maio 2020

Aumento das apostas online em Portugal registada nos três primeiros meses do ano está associada ao facto de terem sido emitidas mais seis licenças a operadores, revela o ministério da Economia.

O primeiro trimestre de 2020 registou um aumento do total de apostas online de cerca de 50% face ao período homólogo de 2019, evolução associada ao facto de terem sido emitidas mais seis licenças a operadores.

Em comunicado, o Ministério da Economia e Transição Digital anunciou os dados recolhidos pelo Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos do Turismo de Portugal (SRIJ), destacando que os operadores “demonstram interesse em oferecer jogo em Portugal de forma legal e regulada e os jogadores cada vez mais privilegiam apostar em sites seguros que lhes inspiram mais confiança”.

Voltando à estatística, o documento acrescenta que na “evolução do último trimestre de 2019, por comparação com o primeiro trimestre de 2020, constata-se um aumento do volume de apostas de apenas 7%, tendo neste mesmo período sido emitidas mais duas novas licenças”.

“Finalmente, analisada a variação mensal ao longo do primeiro trimestre de 2020, há um decréscimo em fevereiro de cerca de – 6,4% e, em março, um acréscimo de cerca de 16,6%, verificando-se, assim, que o mercado e os jogadores estão a ter um comportamento dentro de parâmetros habituais e de acordo com a evolução do jogo online desde a sua regulação em Portugal”, sustenta a informação disponibilizada pelo Governo.

E prosseguiu: “no momento atual, a procura de jogos online pode também resultar do facto de o confinamento conduzir a uma necessidade de encontrar formas sucedâneas de entretenimento e lazer o que, só por si, não é suscetível de motivar práticas desregradas ou um aumento exponencial do risco de adição”.

Na nota é também enfatizado o facto de a procura de jogo online no mercado regulado ser “bem demonstrativa do facto de os jogadores identificarem este como um meio legal que oferece garantias de fiabilidade e de segurança, onde podem fazer as suas apostas de forma segura, protegidos e com confiança e dispondo de uma entidade de regulação (o SRIJ) à qual poderão recorrer, se necessário”.

“Esta é, pois, uma evidência de que o objetivo primordial subjacente à regulamentação da exploração online em Portugal de jogos e apostas terá sido alcançado”, sustenta o documento hoje divulgado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Apostas online cresceram 50% em Portugal no primeiro trimestre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião