Fiat Chrysler e PSA não vão distribuir dividendos por causa do vírus

A realização da fusão entre os dois grupos automóveis deverá iniciar-se antes do final do primeiro trimestre de 2021.

A Fiat Chrysler e a PSA Peugeot não vão distribuir os dividendos de 1.100 milhões de euros que tinham sido definidos como parte do acordo de fusão entre os dois fabricantes automóveis, por causa da crise pandémica. A fusão deverá avançar antes do final do primeiro trimestre do próximo ano, sinalizam os grupos.

“O conselho de administração da Fiat Chrysler Automobiles N.V. e o conselho de administração da Peugeot S.A. decidiram que não irão distribuir os dividendos ordinários em 2020, ligados ao exercício de 2019, à luz do impacto da crise atual da Covid-19″, lê-se no comunicado.

Tinha sido definido que cada companhia iria distribuir em 2020 um dividendo ordinário no valor de 1.100 milhões de euros, referente ao ano fiscal de 2019, anunciaram as empresas aquando o anúncio da fusão entre as duas.

Os grupos automóveis indicam ainda que os preparativos para a fusão 50/50 das suas atividades, anunciado em dezembro de 2019, que que vai criar um mega grupo automóvel europeu, “decorrem a bom ritmo, designadamente no que se refere à regulamentação antitrust e a outros regulamentos”.

Desta forma, a realização da fusão para a nova empresa, para a qual o português Carlos Tavares foi nomeado CEO, deverá iniciar-se antes do final do primeiro trimestre de 2021, se tudo correr como previsto e “sob reserva das condições de implementação habituais”, sinalizam os grupos.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fiat Chrysler e PSA não vão distribuir dividendos por causa do vírus

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião