Volkswagen paga 9 milhões de euros para encerrar processo contra dois dirigentes pelo dieselgate

  • Lusa
  • 20 Maio 2020

A Volkswagen aceitou pagar 9 milhões de euros para encerrar o processo contra o diretor da marca, Herbert Diess, e o presidente do conselho de supervisão, Hans Dieter Pötsch.

A justiça alemã encerrou um processo contra o diretor da Volkswagen (VW), Herbert Diess, e o presidente do conselho de supervisão, Hans Dieter Pötsch, em troca do pagamento, pela empresa, de nove milhões de euros.

A notícia, divulgada na terça-feira, respeita a um processo judicial resultante da manipulação dos mercados financeiros, ligada ao escândalo conhecido como dieselgate.

“O conselho de supervisão saúda o fim do processo” da procuradoria de Brunswick, no norte, visando os dois mais altos responsáveis do grupo Volkswagen, que estavam, desde setembro de 2019, na antecâmara de um julgamento no quadro do escândalo dos motores diesel adulterados, indicou um porta-voz.

O grupo aceitou assumir o pagamento, porque não identificou “faltas aos deveres para com a empresa” da parte de Diess ou Pötsch, que estavam acusados de terem informado demasiado tarde os investidores da fraude nas viaturas a diesel.

“Os conselheiros jurídicos e os representantes da empresa são da opinião que as acusações contra Pötsch e Diess não têm fundamento”, especificou a fonte do grupo. “É no interesse do grupo acabar com este processo”, acrescentou o porta-voz.

No final de setembro, a procuradoria tinha acrescentado os dois dirigentes, por “manipulação de cotações bolsistas”, ao antigo dirigente Martin Winterkorn, que já estava acusado de “fraude agravada”.

O acordo não inclui Winterkorn, cujos advogados, solicitados pela AFP, ainda não responderam.

Pötsch continua sob investigação pela procuradoria de Estugarda, por manipulação dos mercados. O antigo dirigente da marca Audi, Rupert Stadler, também está à espera de ser processado.

O escândalo rebentou em setembro de 2015, quando depois de acusações da agência de defesa do ambiente norte-americana (EPA, na sigla em inglês), a Volkswagen reconheceu ter manipulado 11 milhões de veículos com um programa informático capaz de os fazer aparecer menos poluentes em testes de laboratório do que na estrada. As cotações da bolsa tinham então caído durante vários dias.

O atual diretor do grupo, Herbert Diess, era então o diretor da marca VW e Pötsch o diretor financeiro, sob a autoridade de Winterkorn.

O dieselgate já custou mais de 30 mil milhões de euros ao construtor alemão, que procura desde então recuperar a imagem, através de uma aposta no carro elétrico.

O essencial desta soma paga pelo grupo VW – relativos a custos jurídicos, multas e indemnizações – foi desembolsado nos EUA, em particular para indemnizações generosas a clientes para comprarem viaturas.

Na Alemanha, o grupo já pagou três multas, com um total de 2,3 mil milhões de euros.

No final de abril fechou-se outra vertente deste escândalo tentacular. No quadro de um acordo, a VW vai pagar pelo menos 750 milhões de euros, para reembolsar 235 mil clientes, agrupados em um processo inédito na Alemanha, similar a uma ‘class action’ nos EUA.

Em curso está outra ação similar, com investidores a reclamarem indemnizações, no quadro de um procedimento coletivo, apresentado em setembro de 2018, e que se deve prolongar por mais alguns meses.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Volkswagen paga 9 milhões de euros para encerrar processo contra dois dirigentes pelo dieselgate

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião