António Mexia arrisca-se a ser suspenso como presidente da EDP

  • ECO
  • 26 Maio 2020

Serão feitos novos interrogatórios no âmbito do caso EDP, tendo em vista o agravamento das medidas de coação.

António Mexia, presidente executivo da EDP, João Manso Neto, administrador da EDP e presidente executivo da EDP Renováveis e João Conceição, administrador executivo da REN, arriscam-se a ver as funções suspensas, no âmbito do caso EDP, avança o Observador (acesso pago).

Serão feitos novos interrogatórios tendo em vista o agravamento das medidas de coação, que atualmente se situam no nível mínimo. Será o juiz Carlos Alexandre a decidir o nível das medidas, sendo que podem ir desde o depósito de uma caução junto dos autos à suspensão das funções, que é a opção mais grave.

Os três serão ouvidos entre 2 e 4 de junho no Tribunal Central de Instrução Criminal, segundo tinha já avançado o Correio da Manhã, sendo a primeira vez que Mexia e Manso Neto vão ser interrogados na Justiça depois de terem sido constituídos arguidos. A informação nova que levou à definição dos inquéritos está relacionada com prémios e regalias que os líderes terão recebido.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

António Mexia arrisca-se a ser suspenso como presidente da EDP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião