BCP acelera 4% em bolsa. Ações superam os dez cêntimos

As ações do banco liderado por Miguel Maya prolongam os ganhos de 6% da última sessão, acompanhando os pares europeus que estão a ser suportados pela perspetiva de mais estímulos.

O BCP volta a destacar-se pela positiva. Após um disparo de 6% na última sessão, as ações do banco liderado por Miguel Maya valorizam mais de 4%, superando a fasquia dos dez cêntimos por ação. O banco acompanha o desempenho positivo dos pares europeus que beneficiam do apetite dos investidores face à perspetiva de novos estímulos económicos na Europa a anunciar ainda esta quarta-feira.

As ações do BCP valorizam 3,82%, para os 10,05 cêntimos, sendo que já chegou a atingir os 10,12 cêntimos, um máximo de 30 desde 30 de abril.

O BCP acompanha o rumo bolsista dos pares europeus, numa sessão em que o setor da banca do Stoxx 600 valoriza 3,59%.

Ações do BCP aceleram em bolsa

A subida dos títulos da banca acontece depois de já terem sido conhecidos os resultados trimestrais de grande parte das instituições financeiras e em que começa a haver dados sobre o impacto do vírus no setor. A Autoridade Bancária Europeia assegura que os bancos estão mais bem preparados do que na anterior crise.

Mas esta quarta-feira há um fator adicional a dar fôlego aos títulos do setor, que beneficia também o BCP. Nomeadamente, a expectativa relativamente a novos estímulos económicos na Europa.

Esta quarta-feira, a Comissão Europeia apresenta a nova proposta referente ao orçamento da União Europeia e ao Fundo de Retoma Económica. É aguardado o anúncio de uma combinação de subsídios, empréstimos e garantias superiores a um bilião de euros.

Entre os títulos da banca europeia, destaque para o disparo de 10,3% do Société Générale e de 9,63% do BNP Paribas.

(Notícia atualizada às 10h25)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BCP acelera 4% em bolsa. Ações superam os dez cêntimos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião