Vieira da Silva diz que “o teletrabalho levanta problemas muito delicados”

  • ECO
  • 27 Maio 2020

Ex-ministro do Trabalho e da Segurança Social destaca entraves em termos de interação, mas também questões como número elevado de horas de trabalho que são mais difíceis de controlar no teletrabalho.

Vieira da Silva, ex-ministro do Trabalho e da Segurança Social, revela uma posição muito conservadora relativamente ao teletrabalho. Em entrevista ao Jornal de Negócios (acesso pago), o ex-governante diz que este “levanta problemas muito delicados”, considerando que é mais fácil controlar a forma como o trabalho é prestado e remunerado quando feito de forma presencial.

“Aquelas visões de que isto é uma oportunidade para passarmos de um paradigma de organização do trabalho para um outro radicalmente diferente, em que todos nós trabalhamos nesta rede de nuvem etérea em que tudo funciona no melhor dos mundos… não sou partidário desta visão”, diz Vieira da Silva, salientando os entraves em termos de interação, mas também questões da natureza das relações de trabalho, como o número elevado de horas de trabalho que são mais difíceis de controlar no teletrabalho.

Questionado relativamente ao aumento do desemprego e ao maior risco associado às pessoas com mais idade e se a política de adiamento da idade de reforma se deve manter, Vieira da Silva é perentório. Considera que seria um erro inverter esse caminho. E alerta que “antecipar a idade da reforma é uma solução perigosa”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vieira da Silva diz que “o teletrabalho levanta problemas muito delicados”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião