Portugal recebe 15,5 mil milhões em subvenções do Fundo de Recuperação

Caso a proposta da Comissão Europeia seja aprovada no Conselho Europeu, Portugal receberá 26,3 mil milhões de euros do fundo de recuperação europeu pós-pandemia.

A proposta da Comissão Europeia para o Fundo de Recuperação Europeu pós-pandemia prevê que Portugal venha a receber 26,3 mil milhões de euros, apurou o ECO. Os dados oficiais deverão ser divulgados às 12h30 pela presidente Ursula von der Leyen no Parlamento Europeu.

Os 26,3 mil milhões de euros são divididos entre 15,5 mil milhões de euros a fundo perdido e 10,8 mil milhões de euros de empréstimos. Este valor corresponde a cerca de 13% do PIB português em 2019 e a cerca de 3,5% do valor total do fundo de 750 mil milhões de euros.

De acordo com a tabela a que o ECO teve acesso, Itália e Espanha, dos mais afetados pela pandemia, são os países que mais deverão receber deste fundo, caso venha a ser aprovado nestes termos pelo Conselho Europeu.

Pré alocação das subvenções e empréstimos do Fundo de Recuperação Europeu proposto pela Comissão Europeia.

 

No documento sobre a pré alocação dos fundos, a Comissão Europeia refere que os 15,5 mil milhões de euros em subvenções incluem os valores do REACT EU, RRF, Just Transition Fund (Fundo da Transição Justa) e Rural Development.

Já os empréstimos são calculados com base no peso do RNB (rendimento nacional bruto) de Portugal no da União Europeia e relativamente à média europeia. Os países com um riqueza inferior à média europeia são dos mais beneficiados.

(Notícia atualizada às 13h03 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal recebe 15,5 mil milhões em subvenções do Fundo de Recuperação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião