Montepio vota contas em assembleia-geral a 30 de junho

  • Lusa
  • 29 Maio 2020

Acionistas vão deliberar sobre o relatório de gestão e as contas de 2019, a proposta de aplicação de resultados e a política de remuneração dos órgãos de administração.

Os acionistas do Banco Montepio vão reunir-se, em assembleia-geral, em 30 de junho para votar, entre outros pontos, as contas de 2019 e a proposta de aplicação de resultados.

“Em conformidade com o previsto na lei e nos estatutos do banco Montepio, e a pedido do Conselho de Administração, convoco a assembleia-geral anual da caixa económica Montepio Geral, caixa económica bancária, S.A., para reunir no edifício da Rua do Ouro, nº 219 a 241, 3º andar, em Lisboa, no dia 30 de junho de 2020, pelas 14:30 horas”, lê-se no comunicado remetido à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Na reunião, os acionistas vão deliberar sobre o relatório de gestão e as contas de 2019, a proposta de aplicação de resultados, a política de remuneração dos órgãos de administração e fiscalização e a “política de seleção e avaliação da adequação dos MOAF [membros do órgão de administração e fiscalização] e TFE”.

Por outro lado, vão proceder à apreciação da administração e fiscalização do banco, à revisão da política de remunerações também da administração e da fiscalização, bem como votar o regulamento de execução de reforma complementar dos administradores, a política de implantação geográfica e a carta de responsabilidade social.

Em cima da mesa vai estar ainda a votação sobre as condições de emissão do “Finibanco Valor Invest 2020” e a eleição do representante suplente do revisor oficial de contas – PricewaterhouseCoopers & Associados.

O Banco Montepio totalizou 22 milhões de euros de lucro em 2019, mais 60% do que no ano anterior.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Montepio vota contas em assembleia-geral a 30 de junho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião