17 estádios, mais substituições e muitos testes. É assim a Liga Nos em tempos de Covid-19

A Liga Nos regressa esta quarta-feira, mas com mudanças. Desde o uso de máscaras a estádios vazios, conheça aqui no ECO todas as novidades.

A Liga alemã foi das primeiras a regressar ao ativo depois da paragem por causa do vírus. Campeonato retomou, servindo de exemplo para o resto das ligas europeias, mostrando que é possível o regresso da competição sem colocar em causa as regras de higiene e segurança. Um sucesso que Portugal procurará, agora, replicar.

Dois meses depois da suspensão, a Liga Nos volta aos relvados esta quarta-feira, mas o jogo como o conhecemos não será o mesmo: o ruído das claques, o contacto físico entre os jogadores dentro das quatro linhas e os festejos em equipa vão ser substituídos por estádios vazios, máscaras e o distanciamento social.

O ECO dá-lhe a conhecer as principais medidas que foram tomadas para que a bola volte a rolar nos relvados.

Futebol regressa, não só ao fim de semana

Para evitar estender mais o campeonato, pois ainda faltam disputar 90 duelos, a Liga de Clubes distribuiu a calendarização dos jogos ao longo da semana e não apenas ao fim de semana como era costume até ao momento.

Veja-se, a título de exemplo, a 25.ª jornada do campeonato será disputada entre o dia 3 e 6 de junho, ou seja, de quarta-feira a sábado. Pode ver as datas e os horários desta mesma jornada no anexo abaixo:

Bola vai rolar em 17 relvados diferentes

No primeiro esboço das diretrizes para o regresso do campeonato nacional, a Liga de Clubes revelava que os jogos seriam disputados num pequeno número de estádios, como forma de minimizar ao máximo um possível contágio do novo coronavírus durante os restantes encontros da temporada 2019/2020. Aliás, a 20 de maio, os recintos desportivos aprovados pela DGS eram apenas 9.

Porém, segundo organismo liderado por Pedro Proença, 17 estádios já tiveram a aprovação da Direção-Geral da Saúde (DGS) para acolher os encontros da Liga Nos, a partir de 3 de junho. De referir, que o mais recente a ser aprovado foi o Estádio do Moreirense, estando assim preparado para receber o Rio Ave na 26.ª jornada (às 19h00).

Os recintos desportivos aprovados são:

  • Cidade do Futebol (Federação Portuguesa de Futebol)
  • Estádio do Bessa (Boavista)
  • Estádio Capital do Móvel (Paços de Ferreira)
  • Estádio Cidade de Barcelos (Gil Vicente)
  • Estádio do Clube Desportivo das Aves (Desportivo das Aves)
  • Estádio D. Afonso Henriques (Vitória SC)
  • Estádio Municipal de Famalicão (FC Famalicão)
  • Estádio dos Arcos (Rio Ave)
  • Estádio do Dragão (FC Porto)
  • Estádio João Cardoso (Tondela)
  • Estádio José Alvalade (Sporting)
  • Estádio dos Barreiros (Marítimo)
  • Estádio Municipal de Braga (Sp. Braga)
  • Estádio da Luz (Benfica)
  • Estádio do Bonfim (Vitória de Setúbal)
  • Portimão Estádio (Portimonense)
  • Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas (Moreirense)

Estádios não vão ter adeptos, mas clubes arranjam soluções

Desde o seu nascimento que o futebol sempre foi sinónimo de adeptos e convivência, todavia com a chegada da pandemia ao território nacional o “desporto rei” foi obrigado a adaptar-se à nova realidade. Assim, os estádios estarão vazios durante os 90 minutos dos jogos.

No entanto, clubes como o Vitória SC e o Benfica arranjaram formas de “contornar” as regras da DGS. Através de uma nota no seu site oficial, o emblema lisboeta apelou aos adeptos para entregarem os seus cachecóis com o objetivo de serem colocados nas bancadas do estádio durante os encontros.

No caso do emblema minhoto, a SAD inspirou-se no exemplo do Borussia Moenchengladbach, que atua na Bundesliga, e criou a campanha: “O lugar que é teu”. O objetivo é dar aos sócios a oportunidade de terem a sua fotografia no estádio enquanto rola a bola, isto, a troco de 5 euros.

Para além dos recintos desportivos ficarem proibidos de receber adeptos, a DGS alertou que também no exterior há regras que terão de ser cumpridas. “No exterior e imediações dos estádios, a circulação de pessoas deve ser limitada e condicionada, não estando autorizada a concentração de pessoas em número superior a 10”, refere o parecer.

Equipas vão ter direito a 5 substituições por jogo… apenas na 26.ª jornada

A Liga de Clubes revelou no início da semana passada que o campeonato nacional de futebol iria sofrer uma restruturação ao nível das substituições. Todavia, a falta de unanimidade dos clubes da Liga Nos à última da hora impediu a entrada em vigor das cinco substituições já nesta primeira jornada após a paragem.

Na sexta-feira, o Marítimo anunciou através num comunicado ter rejeitado o alargamento das substituições, afirmando que “viola as normas estatutárias e regulamentares em vigor” e, por isso mesmo, “não aceita ser coagido a assinar uma declaração ilegal”.

Tomada esta decisão por parte do emblema insular, o organismo que tutela o campeonato nacional foi obrigado a adiar a aprovação desta medida para a próxima Assembleia Geral, marcada para o dia 9 de junho.

De referir que com a paragem da Liga (mais de dois meses), os atletas ficaram mais propensos ao desgaste físico e, por isso, a Liga de Clubes tinha decidido na altura alargar o número de substituições para cinco e o banco de suplentes para um total de nove jogadores.

Isolamento obrigatório é necessário durante as jornadas

Os atletas, equipas técnicas, árbitros e seus familiares serão sujeitos a um recolhimento domiciliário durante os treinos e jogos da Liga Nos, sendo “que as deslocações dos intervenientes indicados devem restringir-se ao trajeto domicílio-clube/competição-domicílio”, de acordo com o parecer da DGS sobre o regresso do futebol. O isolamento apenas deverá acabar assim que o campeonato for dado oficialmente como terminado.

A autoridade de saúde reforça ainda que “os clubes devem apoiar os atletas e as suas famílias por forma a evitar deslocações para fora do domicílio (exceto as necessárias para a prática desportiva), recorrendo, para tal, a entregas domiciliárias de bens e serviços”.

Máscaras serão a nova norma dos jogadores

Outra das regras que merecem destaque, e que vai mudar a dinâmica nos centros de treino e jogos, é a implementação do uso obrigatório de máscaras em todos os locais fechados em todas as deslocações de e para os treinos ou competições. Os atletas apenas poderão tirar a proteção para a prática desportiva (tanto nos treinos como nas partidas).

Além disso, de acordo com as recentes diretrizes da Liga de clubes, os apanha-bolas também deverão usar máscaras e manter as distâncias. E o responsável pelo campo de jogo deve deixar ainda mais bolas disponíveis, como forma de evitar possíveis contágios.

Celebrações com distanciamento social são aconselháveis

Tal como na Bundesliga, a DGS recomenda que os jogadores da Liga Nos tenham alguma cautela na hora de festejar um determinado golo. De acordo com a entidade de saúde, os atletas deverão festejar tendo em conta o distanciamento social. O mais habitual será ver os jogadores a “chocarem” cotovelos após os golos.

Testes, testes e… mais testes

Todos os envolvidos na prática deste desporto também vão ser alvo de uma avaliação clínica diária durante os treinos e ao longo das competições devem ser realizados, para todos os encontros, dois testes de diagnóstico semanalmente, ou seja, um 48 horas antes do jogo e outro próximo da hora do jogo.

Em caso de identificação de um caso positivo de infeção por Covid-19, a DGS determina que o atleta deve ser isolado e impossibilitado de participar nas competições até ser dado como recuperado.

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

17 estádios, mais substituições e muitos testes. É assim a Liga Nos em tempos de Covid-19

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião