Há 366 novos casos de coronavírus, 92% em Lisboa e Vale do Tejo. Já morreram 1.447 pessoas

Aumentou para 33.261 o número de pessoas infetadas com o novo coronavírus no país. A grande maioria das novas infeções foram identificadas na região de Lisboa.

Portugal registou 366 novos casos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas. É uma subida de 1,11% face ao dia anterior, com o total de pessoas infetadas a aumentar para 33.261. Morreram mais 11 pessoas devido ao Covid-19, elevando para 1.447 o número total de vítimas mortais, de acordo com o último balanço oficial da Direção-Geral de Saúde (DGS).

O número de novas infeções reportadas nesta quarta-feira é o mais elevado desde o dia 8 de maio, sendo que no seguimento do que se tem observado ao longo dos últimos dias, a maioria das novas infeções foram na região de Lisboa e Vale do Tejo. Foram identificados 335 dos novos casos nesta região, o que representa quase 92% do total e um agravamento face ao dia anterior.

No que respeita aos indicadores de letalidade, a taxa global é de 4,4%, enquanto acima dos 70 anos esta é de 17,2%.

Os dados revelados esta quarta-feira mostram ainda que mais de 20 mil pessoas já recuperaram do Covid-19 em Portugal. Concretamente, 20.079, com o secretário de estado da Saúde a salientar que as recuperações já ascendem a 60,4% do total de casos já identificados desde o início do surto em Portugal.

Boletim epidemiológico de 3 de junho:

Do número total de infetados no país, a maioria está a fazer o tratamento em casa, sendo que os internamentos hospitalares mantêm a tendência de queda. De acordo com a DGS, há agora 432 pessoas internadas (menos quatro), sendo que 56 estão em unidades de cuidados intensivos (menos duas). “Continuamos, assim, desde o início de maio uma trajetória descendente em casos de internamento e em cuidados intensivos”, precisa António Sales.

A nível regional, em termos absolutos, o Norte continua a ser a região mais afetada no país pelo surto, com um total de 16.804 casos já confirmados e 796 mortes, seguida pela região de Lisboa e Vale do Tejo (com 11.828 casos e 380 mortes) e da região Centro (3.765 casos e 240 mortes). Segue-se o Algarve (376 casos e 15 mortes) e o Alentejo (260 casos e uma morte). Nas ilhas, os Açores registam 138 casos e 15 falecimentos, enquanto a Madeira contabiliza 90 pessoas infetadas.

Desde 1 de janeiro, as autoridades de saúde já registaram 331.094 casos suspeitos de Covid-19, sendo que 295.889 casos não se confirmaram. Entretanto, um total de 1.944 pessoas aguardam resultados laboratoriais e 28.093 pessoas estão sob vigilância das autoridades de saúde, por terem estado em contacto com pessoas infetadas.

Cerca de 6.000 trabalhadores testados na região de Lisboa

No contexto do elevado número de contágios que têm vindo a ser reportados na região de Lisboa e Vale do Tejo, foi dada a indicação por parte do secretário de Estado da Saúde que cerca de 6.000 trabalhadores, num universo de 18.100, fazem esta quarta-feira testes ao Covid-19, anunciou o secretário de Estado da Saúde, referindo-se ao plano em curso nas empresas da Grande Lisboa, maioritariamente na Azambuja.

“Neste momento, há um plano de testagem em empresas da Grande Lisboa, a maioria na zona da Azambuja, tendo sido colhidas amostras em algumas dessas empresas, outras estão a acontecer durante o dia de hoje e as restantes com agendamento nos próximos dias”, afirmou António Lacerda Sales na conferência de imprensa desta quarta-feira.

De acordo com o secretário de Estado, até ao momento foram feitas mais de 3.800 colheitas para análise, das quais 2.800 realizadas pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e mil pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT). “Do universo de 18.100 trabalhadores, cerca de 6.000 farão testes hoje”, precisou António Sales.

De acordo com o governante, desde 1 de março, foram realizados mais de 860.000 testes de diagnóstico de Covid-19 em Portugal. “No mês de abril, foi feita uma média de cerca de 11.500 testes por dia. Em maio, a média foi de 13.550 testes por dia e na última semana, ronda os 13.500 testes por dia”, acrescentou.

António Sales reconheceu ainda que as autoridades estão a “incidir a ação em Lisboa e Vale do Tejo e nos referidos focos” de contágio identificados.

Nesse âmbito foram processadas pelo Instituto Professor Ricardo Jorge até ao momento, 1.019 amostras com 59 positivas, o que corresponde a uma taxa de positividade de 5,8%. No contexto destes rastreios foram ainda colhidas 13.849 colheitas pela ARS da região. “Do universo de cerca de 18 mil pessoas, foram disponibilizados até ao momento, 5.849 para testes”.

Relativamente aos testes serológicos que têm vindo a ser feitos, António Sales, adianta que o trabalho de campo — recolha de amostras — deve terminar daqui a três semanas. “Prevê-se que depois dessas três semanas, no período até 45 dias possam ser produzidos os resultados preliminares e, finalmente, os definitivos”.

(Notícia atualizada às 15h05)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Há 366 novos casos de coronavírus, 92% em Lisboa e Vale do Tejo. Já morreram 1.447 pessoas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião