Há 382 novos casos de coronavírus, 90% em Lisboa e Vale do Tejo. Já morreram 1.474 pessoas

Aumentou para 34.351 o número de pessoas infetadas com o novo coronavírus no país. A grande maioria das novas infeções foram identificadas na região de Lisboa.

Portugal registou 382 novos casos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas. É uma subida de 1,12% face ao dia anterior, com o total de pessoas infetadas a aumentar para 34.351. Morreram mais 9 pessoas devido ao Covid-19, elevando para 1.474 o número total de vítimas mortais, de acordo com o último balanço oficial da Direção-Geral de Saúde (DGS).

No seguimento do que se tem observado ao longo dos últimos dias, a maioria das novas infeções foram na região de Lisboa e Vale do Tejo. Foram identificados 345 dos novos casos nesta região, o que representa 90,3% do total e um agravamento face ao dia anterior.

Do número total de infetados no país, a maioria está a fazer o tratamento em casa, sendo que os internamentos hospitalares mantêm a tendência de queda. De acordo com a DGS, há agora 414 pessoas internadas (menos sete), sendo que 57 estão em unidades de cuidados intensivos (menos uma).

A nível regional, em termos absolutos, o Norte continua a ser a região mais afetada no país pelo surto, com um total de 16.855 casos já confirmados e 804 mortes, seguida pela região de Lisboa e Vale do Tejo (com 12.818 casos e 395 mortes) e da região Centro (3.799 casos e 244 mortes).

Desde 1 de janeiro, as autoridades de saúde já registaram 337.333 casos suspeitos de Covid-19, sendo que 301.169 casos não se confirmaram. Os dados revelados este sábado mostram ainda que 20.807 pessoas já recuperaram do Covid-19 em Portugal.

Entretanto, um total de 1.813 pessoas aguardam resultados laboratoriais e 29.013 pessoas estão sob vigilância das autoridades de saúde, por terem estado em contacto com pessoas infetadas.

(Notícia atualizada às 18h45)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Há 382 novos casos de coronavírus, 90% em Lisboa e Vale do Tejo. Já morreram 1.474 pessoas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião