Revista de imprensa internacional

Economistas como Stiglitz e Piketty apelam a reforma fiscal global para pagar crise, enquanto Trump quer investir 1 bilião em infraestruturas para estimular a economia.

Face ao forte impacto económico provocado pela pandemia de Covid-19, economistas como Stiglitz e Piketty apelam a reforma fiscal global para pagar crise, enquanto a equipa de Trump planeia investir um bilião em infraestruturas, como pontes e estradas, para estimular a economia norte americana numa altura em que as empresas dos EUA foram autorizadas a trabalhar com a Huawei no 5G. No Brasil, o economista Bruno Funchal foi anunciado como o novo secretário do Tesouro e na Europa, a petrolífera da Arábia Saudita, Saudi Aramco, entra em Espanha com a Repsol.

Cinco Días

Economistas como Stiglitz e Piketty apelam a reforma fiscal global para pagar crise

O economista Joseph Stiglitz defende que a enorme despesa pública com a saúde e os estímulos fiscais deixados pela pandemia de Covid-19 devem ser enfrentados com uma reforma fiscal abrangente que resulte num sistema de impostos mais justo e progressivo, promovendo um imposto sobre a economia digital, estabelecendo uma taxa mínima de imposto internacional sobre as sociedades ou aumentando a carga fiscal sobre os maiores ativos. Para o economista “antes da pandemia, o sistema fiscal já não era justo”, explicando que “as multinacionais acabavam por pagar menos impostos do que as pequenas empresas locais”, devido à sua capacidade de deslocalização e de tributação em países com baixa carga fiscal.

Leia a notícia completa no Cinco Dias (conteúdo em espanhol / acesso livre).

Expansión

Saudi Aramco entra em Espanha com a Repsol

O CEO da Repsol, Josu Jon Imaz, anunciou que a petrolífera da Arábia Saudita, Saudi Aramco, será o seu parceiro num projeto de conversão da Petronor, uma filial no País Basco. Josu Jon Imaz anunciou investimentos de 80 milhões para transformar certos processos de produção da Petronor, controlada pela Repsol em mais de 94% O primeiro projeto, no qual serão investidos inicialmente 60 milhões de euros, consiste na construção de uma das maiores instalações para a produção de combustíveis sintéticos com emissões líquidas nulas no mundo a partir de hidrogénio verde, gerado com energias renováveis.

Leia a notícia completa no Expansión (conteúdo em espanhol / acesso livre).

Reuters

Empresas dos EUA autorizadas a trabalhar com a Huawei no 5G

Os Estados Unidos alteraram as restrições à Huawei para permitir que empresas norte-americanas possam trabalhar com a tecnológica chinesa na rede 5G. A alteração, que espera aprovação final do Federal Register, foi enviada na sexta-feira pelo U.S. Commerce Department e deverá ter luz verde ainda esta terça-feira. Esta foi confirmada pelo secretário de Estado Wilbur Ross, que sublinhou, no entanto, que “os EUA não vão ceder a liderança na inovação global”.

Leia a notícia completa na Reuters (conteúdo em inglês / acesso gratuito).

Bloomberg

Equipa de Trump quer investir 1 bilião em infraestruturas para estimular a economia

A Administração Trump está a preparar uma proposta de infraestruturas de quase um bilião de dólares para estimular a economia americana. Está a ser preparada uma versão preliminar pelo departamento de transportes que reservaria a maior parte do dinheiro para obras de infraestruturas tradicionais, como estradas e pontes, mas também reservaria fundos para infraestruturas sem fios 5G e banda larga rural. A lei de financiamento das infraestruturas dos EUA está prevista para 30 de setembro e a Administração considera que este é um possível veículo para aprovar um pacote mais amplo, embora a proposta não seja definitiva e ainda não foi anunciada.

Leia a notícia completa na Bloomberg (conteúdo em inglês / acesso condicionado).

Agência Brasil

Economista Bruno Funchal anunciado como novo secretário do Tesouro brasileiro

O Ministério da Economia brasileiro anunciou, segunda-feira, que o economista Bruno Funchal será o novo secretário do Tesouro do país, após ter sido informada a saída de Mansueto Almeida do cargo no final de julho. “Bruno Funchal foi escolhido pelo Ministério da Economia para ser o novo secretário do Tesouro Nacional. Ele assume definitivamente o cargo em 31 de julho. O atual secretário, Mansueto Almeida, permanece no posto até lá e ajudará no processo de transição”, anuncia a pasta da Economia em comunicado. O novo secretário terá o desafio de recolocar a economia brasileira no caminho do ajuste das contas públicas, após a crise acentuada pela pandemia do novo coronavírus.

Leia a notícia completa na Agência Brasil (conteúdo em português acesso gratuito).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião