Nos e Armilar arrancam fundo para investir em 5G. Startups já podem enviar propostas

O fundo da Nos com dez milhões de euros para investir em startups que apostem em 5G será gerido pela Armilar. Já são admitidas propostas de investimento da parte das empresas interessadas.

O fundo da Nos NOS 1,12% para investir em tecnologias ligadas ao 5G será gerido pela Armilar Venture Partners e já está aberto a propostas, anunciou a operadora. O projeto tinha sido anunciado em dezembro do ano passado e conta com dez milhões de euros para aplicar em startups num horizonte estimado de cinco anos.

“A Nos estabeleceu uma parceria estratégica com a Armilar Venture Partners, o maior operador privado de venture capital [capital de risco] em Portugal, para assegurar a gestão do primeiro fundo de investimento em startups de base nacional com investigação e desenvolvimento (I&D) em soluções enquadradas no ecossistema 5G”, informou a empresa num comunicado.

A 16 de dezembro de 2019, a Nos tinha anunciado a criação de um fundo de dez milhões de euros para “investir em empresas com soluções tecnológicas baseadas ou potenciadas pela próxima geração de rede móvel, cobrindo áreas tão variadas com a realidade virtual, smart cities, condução autónoma, internet of things e big data“. A intenção é apostar em empresas em early stage, isto é, em fases muito iniciais de desenvolvimento.

Agora, a a operadora de telecomunicações liderada por Miguel Almeida vem dar mais detalhes sobre o projeto, garantindo que o fundo “pretende privilegiar o investimento junto da comunidade de empreendedores em Portugal”. “Estamos certos de que este fundo será uma valiosa ferramenta agregadora para explorar o potencial que a quinta geração de comunicações móveis encerra e posterior disponibilização dos benefícios para a economia e sociedade portuguesas”, reforça Miguel Almeida, citado na mesma nota.

Segundo a Nos, o fundo de investimento em 5G “já iniciou a sua operação”, pelo que as startups já podem “apresentar-se e submeter uma proposta de investimento”. As indicações são dadas nesta página no site da Nos ou no site da Armilar.

Evolução das ações da Nos na bolsa de Lisboa

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nos e Armilar arrancam fundo para investir em 5G. Startups já podem enviar propostas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião