Fabricante automóvel Ineos desiste de fábrica em Estarreja

  • Lusa
  • 4 Julho 2020

A principal razão para a decisão foi a perspetiva de redução de vendas no setor automóvel, devido à crise provocada pela pandemia.

A INEOS Automotive, empresa do ramo automóvel, transmitiu à Câmara de Estarreja que vai suspender o investimento de 300 milhões de euros numa fábrica no concelho, revelou este sábado fonte municipal.

“A empresa transmitiu à Câmara Municipal de Estarreja a difícil decisão de suspender o investimento”, informa a autarquia, na sua página na Internet. De acordo com o que foi transmitido pelo grupo britânico, a suspensão deve-se a uma reavaliação das opções, face à crise provocada pela pandemia da covid-19”.

De acordo com a comunicação à Câmara, a decisão “nada teve a ver com uma mudança da visão de Estarreja como local de produção”, sendo a principal razão a perspetiva de redução de vendas no setor automóvel.

A INEOS aponta que foi forçada a rever o investimento previsto, face “à mudança de paradigma, devido à diminuição da produção regular dos fabricantes de automóveis na Europa”. O fabricante salienta que a previsão para o setor automóvel é de vir a registar “uma quebra de vendas na ordem dos 20% a 30%, para os próximos anos”.

O CEO da Ineos Automotive, Dirk Heilmann, justificou que “o novo cenário permitirá à INEOS produzir o Grenadier numa unidade industrial já em funcionamento”. Irá assim “usufruir da força de trabalho com histórico de construção na área automóvel e da capacidade técnica instalada, que possibilita a fabricação de outro produto”.

O recurso a uma das fábricas do grupo já existentes, na ótica do administrador, “anula os riscos inerentes à construção e arranque de uma nova unidade fabril”. O grupo inglês INEOS Automotive anunciou em janeiro que iria fabricar um novo veículo 4×4, o “Grenadier”, cujo chassi e carroçaria seriam produzidos em Estarreja, num investimento de 300 milhões de euros.

Para o presidente da Câmara de Estarreja, Diamantino Sabina, a decisão “constitui um duro golpe para o Município” e “um revés naquilo que poderia ser um salto qualitativo em termos económicos e sociais”. “A covid-19, neste caso, foi-nos fatal, neste caso, mas não podemos esmorecer”, disse, referindo que o Eco Parque Empresarial de Estarreja “continua a registar uma procura considerável”.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 526 mil mortos e infetou mais de 11 milhões de pessoas, em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. Em Portugal, morreram 1.598 pessoas das 43.156 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde, hoje divulgado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fabricante automóvel Ineos desiste de fábrica em Estarreja

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião