Ageas Repara retoma atividade com ataque ao norte

  • ECO Seguros
  • 8 Julho 2020

A unidade do grupo integrada na ideia para além dos seguros, fechou 9 semanas e retoma com plano de expansão imediata ao Porto, Braga e Aveiro e a preparar a entrada no centro do país em 2021.

Após 9 semanas de interrupção pandémica a Ageas Repara, empresa do grupo segurador que faz deteção e diagnóstico de fugas de água e humidades através de métodos não destrutivos, completou um ano com 1.000 missões completadas e 250 mil euros de faturação.

Pedro Mota Ribeiro, Managing Director da Ageas Repara, unidade do grupo “para além dos seguros”. Em junho, já 5% da faturação foi obtida fora das seguradoras do grupo.

Agora prepara o ataque ao norte do país e em 2021 será o centro o alvo da expansão geográfica. A Ageas Repara (AgR) faz parte dos interesses do grupo “para além dos seguros” que também inclui o Mundo Ageas, marketplace para empresas de prestação de serviços e de que AgR faz parte, a Clínica Médis e Go Far na área da saúde e a Kleya que presta serviços a cidadãos estrangeiros em Portugal.

A faturação da AgR foi essencialmente gerada pelo grupo, através de segurados da Ocidental e da Ageas Seguros mas Pedro Mota Ribeiro, Managing Director da empresa, afirma que “o cliente final que contacta através do passa-a-palavra já representou cerca de 5% em junho”, prevendo o desenvolvimento do negócio para além do grupo.

Para 2020 o foco é o “alargamento das operações da Ageas Repara para a região Norte com um total estimado de 600 missões, mas também preparar o alargamento à região Centro, previsto para 2021” diz Mota Ribeiro apontando igualmente uma evolução no serviço “como passo natural da nossa prestação de serviços atual, queremos entrar na reparação do dano por água, após nosso serviço de diagnóstico, de modo a melhor controlarmos a qualidade do serviço até à resolução final, e também uma maior otimização do custo com o sinistro”. Acrescenta Mota Ribeiro que estão também focados em “dar a conhecer cada vez mais os nossos serviços a clientes fora do mercado segurador, os que nos procuram individualmente ou provenientes de empresas parceiras”.

Foi em 1 julho de 2019 que a Ageas Repara foi lançada com o serviço de Deteção e Diagnóstico de fugas de água e humidades através de métodos não destrutivos efetuada por “profissionais treinados e bem-educados”, como diz a empresa, que “não se limitam a dar resposta aos problemas reportados como também efetuando recomendações de prevenção e manutenção de modo a mitigar problemas futuros”.

O nascimento da AgR com este objeto não foi aleatório. As seguradoras da Ageas recebem cerca de 10 mil queixas por ano de segurados com origem em problemas de água, que podem significar quase metade das indemnizações superiores que o grupo paga por sinistros em seguros no ecossistema casa, um valor que no ano passado pode ter ultrapassado os 13 milhões de euros.

A Ageas Repara tem hoje 12 Colaboradores, “considerámos ter pessoal próprio a planear e a executar as missões e o alargamento dos serviços a nível nacional será igualmente efetuado com quadro de pessoal próprio”, confirma Mota Ribeiro. O próximo passo será efetuado no final de julho com o arranque dos serviços nos distritos do Porto, Braga e Aveiro chegando assim a uma base alargada de clientes. “Vamos estar sediados no Porto e muito próximos dos nossos parceiros da rede de reparação para promovermos uma melhor qualidade de deteção e reparação”, refere o managing director.

A pandemia “numa fase de arranque do projeto foi claramente um obstáculo”, confessa Pedro Mota Ribeiro, concluindo que “neste momento já retomámos, garantindo todas as condições de segurança”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ageas Repara retoma atividade com ataque ao norte

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião