EDP arguida perde mais de 2% na bolsa de Lisboa

Apesar do aumento de número de casos de Covid-19, as bolsas na Europa sobem. Em Lisboa, o PSI-20 recua, com a EDP a pressionar.

Lisboa arranca a primeira sessão da semana com o “pé esquerdo”, contrariando a tendência da generalidade das praças europeias, isto apesar de os números de novos casos de infeção por Covid-19 continuarem a aumentar. Na praça nacional, grupo EDP arrasta PSI-20 para o “vermelho”, ao perder mais de 2%.

Na Europa, o Stoxx 600 — que reúne as 600 maiores empresas do Velho Continente — valoriza 0,9%, enquanto o francês CAC-40 soma 1,2%, o britânico FTSE 100 ganha 1,3% e o espanhol Ibex-35 avança 1,4%. Em Lisboa, o PSI-20 valoriza 0,08%, para 4.466,76 pontos, com 12 das 18 cotadas em “terreno” positivo, quatro em “terreno” negativo e duas inalteradas.

A praça nacional arrancou a sessão acima da linha de água, mas rapidamente inverteu a tendência. A penalizar o índice de referência nacional estão as ações do grupo EDP. As ações da elétrica desvalorizaram 2,20%, para os 4,4360 euros, enquanto as da participada EDP Renováveis recua 2,04%, para os 13,46 euros.

A queda das cotadas do universo EDP acontece após a RTP ter avançado que o Ministério Público vai constituir arguida a própria empresa no âmbito do caso das rendas excessivas. Na semana passada, o juiz Carlos Alexandre decidiu afastar os CEO das duas cotadas de funções com efeito imediato no seguimento do caso, impedindo-os mesmo de entrar em edifícios da elétrica.

Entre os “pesos-pesados”, a Jerónimo Martins também pesa no desempenho do índice nacional no dia em que destaca o dividendo referente às contas do ano passado. As ações da dona do Pingo Doce recuam 0,07% para os 15,22 euros.

A impedir uma queda mais expressiva da bolsa de Lisboa, estão os títulos do BCP que avançam 1,81% para os 10,70 cêntimos. Ao mesmo tempo, as ações da Nos ganham 0,28% para os 3,53 euros.

No setor petrolífero, a Galp Energia soma 0,43% para 10,5050 euros, apesar da queda das cotações do petróleo nos mercados internacionais. O preço do barril de Brent desvaloriza 0,74%, para os 42,92 dólares no mercado londrino. Já o WTI perde 0,92%, para os 40,16 dólares, no mercado de Nova Iorque. Esta manhã a empresa liderada por Carlos Gomes da Silva revelou que até produziu mais petróleo nos três meses terminados a 30 de junho, mas que as vendas caíram para cerca de metade, dado o impacto da pandemia.

Nota positiva ainda para o setor da pasta e papel, com a Navigator a valorizar 3,13%, a Altri a ganhar 1,08% e a Semapa a somar 2,31%.

(Notícia atualizada às 8h45)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

EDP arguida perde mais de 2% na bolsa de Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião