Há 233 novos casos de Covid-19. 61% na região de Lisboa e Vale do Tejo

A região de Lisboa e Vale do Tejo continua a concentrar o maior número de novas infeções, com 61% do total, de acordo com os dados divulgados esta terça-feira pela Direção Geral de Saúde.

O número de infetados com coronavírus em Portugal subiu para 47.051. Na últimas 24 horas, verificou-se um aumento de 233 novos casos, o que representa uma taxa de crescimento diária de 0,5%, de acordo com os dados divulgados esta terça-feira pela Direção Geral de Saúde. A região de Lisboa e Vale do Tejo continua a concentrar o maior número de novas infeções, com 61% do total.

Até ao momento, Portugal já registou 408.951 casos suspeitos, dos quais 47.051 estão agora confirmados, mais 233 do que na segunda-feira. O número de recuperados subiu de 31.065 para 31.550, isto é, foram dados como recuperados, nas últimas 24 horas, mais 485 pacientes.

O balanço divulgado esta terça-feira dá ainda conta que o número de pacientes internados subiu de 467 para 472. Na segunda-feira, destes, estavam 63 nos cuidados intensivos. Agora, estão mais seis (69 no total). No que diz respeito ao número de vítimas mortais, registou-se um aumento de 1.662 para 1.668.

No que diz respeito à distribuição geográfica dos casos de infeção, continua a ser a região de Lisboa e Vale do Tejo com mais casos confirmados: 23.008. Nas últimas 24 horas, esta região registou 143 novos casos, pouco mais de 61% dos total dos novos casos no país. Segue-se o Norte, com 18.184 casos, o Centro com 4.297 casos, o Alentejo com 586 casos, o Algarve com 725 casos, os Açores com 152 casos e a Madeira com 99 casos.

A DGS nota, por outro lado, que há, atualmente, 34.641 pessoas sob vigilância das autoridades de saúde e 1.472 a aguardar os resultados laboratoriais.

(Notícia atualizada às 16h02)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Há 233 novos casos de Covid-19. 61% na região de Lisboa e Vale do Tejo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião