Stellantis será o nome do novo grupo PSA-Fiat. Carlos Tavares mantém liderança

  • Lusa e ECO
  • 15 Julho 2020

A “conclusão do projeto de fusão” entre o grupo francês PSA, fabricante da Peugeot, Citroën e Opel, e o grupo Fiat Chrysler Automobiles é esperada para o primeiro trimestre de 2021.

Os grupos italiano-norte-americano Fiat Chrysler Automobiles (FCA) e francês Peugeot SA (PSA) anunciaram esta quarta-feira que o nome corporativo do novo grupo, resultante da fusão de ambos, será STELLANTIS.

De acordo com um comunicado divulgado pelo grupo PSA, “à medida que avançam para a conclusão da sua fusão 50:50, conforme definido no Acordo de Combinação”, anunciado em 18 de dezembro de 2019, a PSA e a FCA informam que “o nome corporativo do novo grupo será STELLANTIS”. A nota sublinha que esta designação será utilizada “exclusivamente para se referir” ao novo grupo, “como uma marca corporativa”.

A “conclusão do projeto de fusão” entre o grupo francês PSA, fabricante da Peugeot, Citroën e Opel, e o grupo Fiat Chrysler Automobiles “é esperada para o primeiro trimestre de 2021, sujeita às habituais condições de fecho de negociações, incluindo a aprovação pelos acionistas de ambas as empresas, nas respetivas assembleias gerais extraordinárias”.

Em 31 de outubro, o FCA e o PSA (que tem um centro de produção em Mangualde, distrito de Viseu) anunciaram que se iam fundir em partes iguais e tornar-se no quarto maior fabricante de automóveis do mundo, com sinergias estimadas em 3,7 mil milhões de euros por ano.

O futuro novo grupo automobilístico também terá vendas estimadas em 8,7 milhões de unidades (9,5% do total global) e uma capitalização de cerca de 45.000 milhões de euros. O grupo será liderado pelo CEO da PSA, Carlos Tavares, cabendo o cargo de chairman ao presidente da Fiat Chrysler, John Elkann.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Stellantis será o nome do novo grupo PSA-Fiat. Carlos Tavares mantém liderança

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião