Espanhóis investem 73,8 milhões no aumento de capital da EDP. Mexia também vai a jogo e investe 26 mil euros

A Oppidum Capital, que detém mais de 7% da EDP, exerceu direitos de subscrição e vai investir 73,8 milhões de euros no aumento de capital da EDP. António Mexia também participa na operação.

Os espanhóis da Oppidum Capital exerceram direitos de subscrição no âmbito do aumento de capital da EDP e preparam-se para investir de cerca de 73,8 milhões de euros em mais de 22 milhões de novas ações da empresa. A informação foi avançada pela EDP à CMVM.

“A Oppidum Capital, pessoa coletiva controlada por D. Fernando Masaveu Herrero, no passado dia 3 de agosto de 2020, procedeu ao exercício de subscrição dos respetivos direitos das 263.046.616 ações representativas do capital social da EDP detidas, a que correspondem 22.368.267 ações”, é explicado na nota referida.

Contas feitas, tendo em conta o preço unitário de 3,30 euros de cada nova ação da EDP, os espanhóis subscreveram 22.368.267 ações num investimento de 73,8 milhões de euros. Atualmente, a Oppidum Capital é acionista qualificada da elétrica nacional, controlando mais de 7% do capital, e impede assim uma diluição acentuada da sua participação.

António Mexia vai ao aumento de capital e investe 26 mil euros

Também António Mexia exerceu direitos de subscrição de ações, tendo avançado cerca de 26 mil euros para comprar quase 8.000 novas ações da EDP. A informação também foi avançada pela EDP em comunicado à CMVM, numa altura em que Mexia, presidente executivo, se encontra suspenso de funções na sequência da investigação judicial às rendas excessivas.

“No contexto do aumento de capital pelo qual é conferido aos accionistas direitos de subscrição, António Luís Guerra Nunes Mexia, Presidente do Conselho de Administração Executivo (atualmente com funções suspensas) informou a EDP que optou pelo exercício dos respetivos direitos“, lê-se na nota divulgada pela CMVM.

O CEO suspenso da EDP e a mãe, Maria da Graça Mexia, subscreveram 7.922 ações, num investimento de 26.142,6 euros.

O aumento de capital da EDP visa financiar a compra da espanhola Viesgo. Tal como avançou o ECO, esse negócio está avaliado em 2,7 mil milhões de euros. “A transação da Viesgo será parcialmente financiada através de uma oferta pública de subscrição de 1.020 milhões euros, um aumento de capital social com subscrição totalmente garantida até um máximo de 309.143.297 novas ações da EDP, representativas de um total de aproximadamente 8,45% do capital social da EDP, com subscrição reservada a acionistas no exercício dos seus direitos de preferência e outros investidores que adquiram Direitos de Subscrição”, explicou a EDP em julho, também num comunicado divulgado pela CMVM.

Os direitos de subscrição da EDP estiveram a negociar na bolsa nos últimos dias, tendo a última sessão sido esta segunda-feira, altura em que fecharam a valer 9,71 cêntimos, uma desvalorização de 8,3% em oito sessões. No âmbito do aumento de capital da elétrica, é preciso exercer 11,75 direitos para comprar uma das novas ações que a empresa vai emitir.

Nota de edição: Maria da Graça Mexia é mãe de António Mexia e não esposa, como indicava uma versão anterior deste artigo. Aos leitores e visados, as nossas desculpas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Espanhóis investem 73,8 milhões no aumento de capital da EDP. Mexia também vai a jogo e investe 26 mil euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião