Ouro atinge novo pico depois de ultrapassar barreira dos 2.000 dólares

O preço do ouro continua a subir, tendo tocado em novos máximos históricos depois de superar o marco dos 2.000 dólares por onça.

Depois de ultrapassar a marca dos 2.000 dólares na terça-feira, o preço do ouro volta a tocar em máximos históricos nesta sessão. Este desempenho é impulsionado por um dólar mais fraco, pela queda dos rendimentos do Tesouro dos Estados Unidos e pelas expectativas de mais medidas de estímulo para revitalizar a economia.

O metal precioso continua a valorizar esta manhã, depois de atingir um recorde de 2.036,49 dólares dólares por onça. Os contratos futuros de ouro nos EUA sobem 1,42% para 2.037,10 dólares. A queda no dólar, “à medida que a especulação continua abundante sobre o crescimento global e qualquer pacote fiscal dos EUA, levou os preços do ouro a subirem”, explicou Kyle Rodda, analista do IG Markets à Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês).

Os casos de coronavírus continuam a aumentar nos Estados Unidos e dezenas de estados norte-americanos tiveram que interromper ou reverter os planos de reabertura. Os negociadores da Casa Branca prometeram trabalhar “ininterruptamente” com os democratas do Congresso para tentar chegar a um acordo sobre os apoios até o final desta semana.

Os investidores costumam apostar neste ativo com valor intrínseco em alturas de incerteza, que é também a palavra de ordem agora, já que não é ainda completamente claro quais serão os efeitos a longo prazo da crise global provocada pela pandemia de Covid-19. Para além disso, receios em torno das tensões geopolíticas entre EUA e China, bem como quanto a uma possível onda de inflação após o impacto da Covid também impulsionam a procura.

(Notícia atualizada às 9h35)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ouro atinge novo pico depois de ultrapassar barreira dos 2.000 dólares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião