Pandemia levou a quedas no valor acrescentado em todos os setores na UE no primeiro trimestre

Foi no comércio, transporte, alojamento e serviços de alimentação, bem como no setor das artes, entretenimento, recreação e outras atividades de serviços, que se verificaram maiores quedas.

Todas as indústrias registaram uma queda no valor acrescentado bruto (VAB) e nas horas trabalhadas, no primeiro trimestre de 2020, na União Europeia. Foi nas atividades de comércio, transporte, alojamento e serviços de alimentação, bem como no setor das artes, entretenimento, recreação e outras atividades de serviços, que se sentiu uma maior diminuição.

Estas áreas foram das mais afetadas pelo confinamento ditado pelos governos para conter a disseminação da Covid-19, tendo registado quedas no VAB que rondam os 6%, face ao trimestre anterior, revelam os dados do Eurostat, divulgados esta quarta-feira. Estes setores são também aqueles onde se sentiu uma maior diminuição do emprego em termos de horas trabalhadas, entre os 5% e os 6%.

Verificaram-se declínios na remuneração dos funcionários (a preços correntes) e no número de pessoas empregadas na maioria dos setores, mas em menor grau do que o VAB, o que reflete os esquemas de apoio implementados pelos governos nacionais, salienta o gabinete de estatísticas da União Europeia.

O setor da informação e comunicação foi dos únicos que registou crescimento em quase todos os aspetos (0,9% no número de pessoas empregadas e 1,1% para remuneração dos funcionários), excetuando o VAB. Também a área da Administração Pública, defesa, educação, saúde e atividades de trabalho social registou um aumento no emprego, em número de pessoas, e na remuneração dos trabalhadores.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Pandemia levou a quedas no valor acrescentado em todos os setores na UE no primeiro trimestre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião