Hoje nas notícias: Desemprego, apoios sociais e Fisco

  • ECO
  • 12 Agosto 2020

Dos jornais aos sites, passando pelas rádios e televisões, leia as notícias que vão marcar o dia.

A corrida ao subsídio de desemprego em máximos de 15 anos em destaque no dia em que é noticiado que os apoios sociais previstos no Orçamento do Estado Suplementar já em vigor ainda não saíram do papel por dificuldades informáticas e de adaptação regulamentar. Veja estas e outras notícias que marcam as manchetes nacionais.

Corrida ao subsídio de desemprego atinge recorde de 15 anos

Os efeitos económicos resultantes da pandemia estão a fazer disparar a corrida ao subsídio de desemprego que atingiu um recorde de 15 anos. Entre abril e junho foram inscritos perto de 48 mil beneficiários nos centros de emprego de todo o pais. Os distritos de Viana do Castelo e de Faro foram aqueles que mais viram aumentar o número de inscritos.

Leia a notícia completa no Jornal de Notícias (acesso pago)

 

“Complexidade técnica” do Fisco penaliza pais divorciados no IRS

Há vários anos que alguns pais divorciados são prejudicados por não conseguirem incluir os filhos na declaração de IRS. A situação afeta contribuintes com dependentes em regime de guarda alternada e que, devido a problemas familiares, se veem impedidos de validar o agregado familiar, porque a pessoa com quem estiveram casados não partilha a senha de acesso à área reservada dos filhos no site da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT). O ministro das Finanças, João Leão, reconhece que o problema existe, alega que é complexo de resolver tecnicamente pelo Fisco e promete que a AT irá estudar uma “proposta”.

Leia a notícia completa no Público (acesso condicionado)

Apoio sociais do Orçamento do Estado ainda não saíram do papel

A entrada em vigor do Orçamento do Estado Suplementar a 25 de julho trouxe novos direitos que visam facilitar o acesso ao subsídio de desemprego, que alargam os apoios a sócios-gerentes, garantem baixa médica a 100% para doentes Covid-19 e a proteção dos trabalhadores informais. Contudo, apesar de estes direitos já estarem em vigor ainda não estão a ser aplicados. O Governo justifica essa situação com a necessidade de adaptações de sistemas informáticos ou de concluir regulamentações que se encontram atrasadas.

Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (acesso pago)

Obras no Hospital Militar custaram mais do triplo face ao estimado

Inicialmente estava previsto que a reabilitação de três dos cinco pisos do antigo Hospital Militar de Belém custasse 750 mil euros. Mas a fatura já vai em Belém 2.598.964,46 euros, num contrato estabelecido por ajuste direto. A Direção-Geral de Recursos da Defesa já pagou a conta, mas o Ministério da Defesa não aceita que tenha havido uma derrapagem nas contas, nem justifica a diferença de valores. As obras na instituição visaram reforçar o SNS no internamento de doentes com Covid-19.

Leia a notícia completa no Diário de Notícias (acesso pago)

Futebol, BES e Isabel dos Santos na mira de Rui Pinto

Rui Pinto está a ajudar a Polícia Judiciária nas investigações que envolvem Isabel dos Santos, a corrupção no futebol português e europeu e o Banco Espírito Santo. Oficialmente não há confirmação de quais as investigações que recebem o apoio do hacker que este preso um ano, mas que agora está a colaborar com a Justiça. Rui Pinto, que agora tem um novo estatuto, pode ajudar a identificar os bancos por onde passou o dinheiro desviado do erário público ou que resultou de práticas de corrupção, os testas de ferro e outros dados que podem ser depois confirmados pelas autoridades que posteriormente os usam como prova. Leia a notícia completa no Correio da Manhã (acesso pago)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Hoje nas notícias: Desemprego, apoios sociais e Fisco

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião