Apple vendeu mais iPhones em Portugal, Huawei teve quebra de 40%

O mercado de smartphones em Portugal recuou 15% em unidades vendidas no trimestre do pico da pandemia. A Huawei registou a maior queda, de 40%, enquanto a Apple cresceu 14%.

A sul-coreana Samsung foi a marca que mais smartphones vendeu em Portugal no segundo trimestre, enquanto a chinesa Huawei foi a que registou a maior quebra nas vendas, que afundaram 40%. Já as vendas da Apple subiram 14% no mesmo período, de acordo com dados trimestrais divulgados pela consultora IDC.

O número de unidades vendidas no mercado nacional caiu 15% em termos homólogos, para 501.978 entre abril e junho, já incluindo o impacto da pandemia e do estado de emergência na totalidade. A Samsung continuou a liderar as vendas, registando uma quota de 31,8% e 159.520 unidades vendidas, um recuo de 1,3 pontos percentuais na quota e de 19% em unidades.

Com 20,7% do mercado de smartphones, a Huawei, incluindo a submarca Honor, foi a que registou a maior quebra em unidades vendidas no no mesmo período. A empresa vendeu 104.159 smartphones, menos 40% do que no período homólogo e um recuo homólogo de 8,5 pontos percentuais em quota de mercado, segundo os mesmos dados da IDC.

Em contrapartida, a Apple cresceu e ganhou quota de mercado, com as vendas de iPhones em Portugal a alcançarem as 75.673 unidades entre abril e junho, mais 14% do que em 2019. A quota da empresa é agora de 15,1%, uma subida de 3,9 pontos percentuais em relação ao ano passado.

As maiores subidas, contudo, foram protagonizadas pela TCL (Alcatel) e pela Xiaomi. No caso da primeira, as vendas mais que duplicaram no trimestre, alcançando as 59.239 unidades e uma quota de 11,8%, cada vez mais próxima da quota da Apple. Já a Xiaomi viu as vendas subirem 93% no trimestre, para 44.333 telemóveis vendidos no país, uma quota de 8,8% que compara com os 3,9% que tinha há um ano.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Apple vendeu mais iPhones em Portugal, Huawei teve quebra de 40%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião