Contribuintes adiam entrega ao Estado de 1.321 milhões em impostos

  • ECO
  • 14 Agosto 2020

A flexibilização do pagamento de alguns impostos permitida pelo Governo no âmbito das medidas fiscais de resposta à pandemia já teve a adesão de mais de 94 mil contribuintes.

Mais de 94 mil contribuintes aderiram à flexibilização do pagamento de alguns impostos permitida pelo Governo no âmbito das medidas fiscais de resposta à pandemia num montante global que ascende a 1.321 milhões de euros, avança o Expresso (acesso pago) esta sexta-feira.

Segundo o jornal que cita dados facultados pelo Ministério das Finanças, o regime excecional e temporário de cumprimento de obrigações fiscais teve a adesão de 94.066 contribuintes, dos quais 73.525 são empresas, 78% do total. No total de 1.321 milhões de euros, estão envolvidos o valor do IVA (mensal ou trimestral) e das retenções na fonte de IRS e de IRC que estão a ser liquidados faseadamente. Desse valor, o grosso — 1.034 milhões de euros — dizem respeito à suspensão do IVA, que lidera em número de pedidos de adiamento.

Foi em março deste ano que o Governo deliberou, no âmbito das medidas para ajudar a mitigar os efeitos da pandemia de Covid-19 na economia, que as empresas e os trabalhadores independentes pudessem suspender o pagamento de alguns impostos, recorrendo a prestações de três ou de seis meses, sem juros e sem necessidade de prestar uma garantia. Não se trata de uma redução da fatura fiscal, mas sim do diferimento no tempo dessas contribuições.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Contribuintes adiam entrega ao Estado de 1.321 milhões em impostos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião