Apple é a primeira a superar a fasquia dos dois biliões de dólares em Wall Street

Com cada ação a tocar os 468,63 dólares, a Apple atingiu uma capitalização de mercado nunca vista em Wall Street.

A Apple tornou-se esta quarta-feira a primeira empresa cotada nos EUA com uma capitalização bolsista de dois biliões de dólares. O marco foi alcançado de forma temporária numa altura em que os investidores de Wall Street estão a afastar com a recessão económica no país.

A dona do iPhone tem vindo a valorizar de forma consistente desde o sell-off causado pela pandemia que atirou a cotação de cada ação para 212,61 dólares por ação no final de março. Desde então já ganhou cerca de 120% para o máximo histórico de 468,63 dólares por ação tocado na sessão desta quarta-feira.

A Apple tem aproveitado o rally acionista que tem sido especialmente expressivo no setor tecnológico, graças ao reforço da confiança na recuperação económica após a pandemia. Em simultâneo, depois da apresentação de resultados, os investidores têm aplaudido a diversificação do negócio, nomeadamente a diminuição da dependência da empresa nas vendas de iPhones a par de maior oferta de serviços.

Graças aos fortes ganhos dos últimos meses, a Apple destronou mesmo, em julho, a Saudi Aramco como cotada mais valiosa do mundo. A petrolífera saudita, que entrou no ano passado em bolsa com a maior capitalização de mercado de sempre, tem sido penalizada pela instabilidade no mercado petrolífero e vale agora “apenas” 1,8 biliões de dólares.

Criada na garagem de Steve Jobs em 1976, a tecnológica começou a negociar em Wall Street a 12 de dezembro de 1980 a 22,00 dólares por ação. Desde então, passou pela crise das dotcom, quando a cotação caiu abaixo da barreira dos cinco dólares, mas recuperou, tendo-se tornado uma das mais importantes tecnológicas do mundo e valorizado 2.028% em bolsa.

Na crise das dotcom, ação valia menos de cinco dólares

Fonte: Reuters

(Notícia atualizada às 16h30)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Apple é a primeira a superar a fasquia dos dois biliões de dólares em Wall Street

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião