É oficial. Vítor Escária nomeado chefe de gabinete do primeiro-ministro

O economista Vítor Escária sucede a Francisco André no cargo de chefe de gabinete do primeiro-ministro. A designação já foi publicada em Diário da República.

O economista Vítor Escária é o novo chefe de gabinete do primeiro-ministro, de acordo com o despacho publicado, esta sexta-feira em Diário da República. O professor do Instituto Superior de Economia e Gestão substitui Francisco André, que irá rumar agora à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

Doutorado em Economia pela University of York, no Reino Unido, Vítor Escária foi consultor em diversas instituições públicas e privadas; Foi também assessor económico do gabinete do primeiro-ministro nos Governos de José Sócrates e no primeiro Governo de António Costa. Acabou por apresentar demissão desse último lugar face ao seu envolvimento no caso Galpgate, apesar de ter defendido que viajou para assistir aos jogos do Euro2016 a convite da Galp a título pessoal e não na qualidade de assessor para a área económica do chefe de Governo.

Segundo escreveu a Lusa, mesmo tendo deixado de exercer oficialmente funções no gabinete de António Costa, manteve-se ligado ao Executivo uma vez que passou a coordenar uma equipa do ISEG que prestava assessoria ao Governo, através de um contrato celebrado com a Agência de Desenvolvimento e Coesão, no processo de negociação do Quadro Financeiro Plurianual da União Europeia. E mesmo depois do fim desse contrato, em dezembro de 2018, o economista manteve-se ligado ao primeiro-ministro.

Escária assume agora o cargo deixado livre por Francisco André — cuja exoneração também foi publicada, esta sexta-feira, em Diário da República –, que irá transitar para a representação permanente de Portugal junto da OCDE.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

É oficial. Vítor Escária nomeado chefe de gabinete do primeiro-ministro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião