Groundforce pede 30 milhões de euros ao Estado

  • ECO
  • 29 Agosto 2020

Perante a forte queda dos voos nos aeroportos portugueses por causa da pandemia, a companhia está numa situação financeira débil. Já perdeu 59 milhões em receitas.

A Groundforce pediu ajuda estatal. A empresa responsável pelo handling nos aeroportos nacionais, que tem a TAP como acionista, pretende que o Estado injete 30 milhões de euros, revela o Expresso (link indisponível).

Perante a forte queda dos voos nos aeroportos portugueses por causa da pandemia, a companhia está numa situação financeira débil. Paulo Leite Neto, CEO da Groundforce, revela que nos primeiros oito meses de 2020 a Groundforce perdeu 59 milhões de euros de receita.

Este resultado tem “impactos muito grandes no nosso equilíbrio”, disse o responsável numa carta enviada aos trabalhadores, citada pelo Expresso. Para tentar salvar os 2.600 postos de trabalho, a empresa fez um pedido de ajuda ao Ministério das Finanças em junho que pode vir sob a forma de empréstimo com garantia do Estado.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Groundforce pede 30 milhões de euros ao Estado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião