BRANDS' PESSOAS Programas de mentoring nas organizações

  • BRANDS' PESSOAS
  • 31 Agosto 2020

Marta Santos, Associate Partner EY, e Joana Maia, Consultora EY, ambos de People Advisory Services, explicam como os programas de mentoring aceleram o processo de aculturação.

Numa altura em que o modelo de teletrabalho surge em larga escala, a existência de programas de mentoring constitui para as organizações uma ferramenta de suporte à cultura organizacional e ao desenvolvimento dos colaboradores.

O mentoring é conhecido como uma “relação de desenvolvimento”, estabelecida entre uma pessoa experiente, tipicamente um líder (mentor), e uma pessoa menos experiente (mentee) sendo esta relação patrocinada pela organização.

Os principais objetivos do mentoring no local de trabalho são: a orientação profissional, o desenvolvimento de competências, a definição de modelos comportamentais, a promoção de oportunidades de networking e o estabelecimento e manutenção de relações profissionais mesmo à distância. Os programas permitem assim aproximar líderes e recém-chegados quer à organização quer ao mercado de trabalho, construindo pontes entre gerações através de uma aprendizagem contínua em temas que contribuem para a transformação cultural da organização.

"A existência de programas de mentoring nas organizações acelera o processo de aculturação e adaptação aos processos de trabalho, conduzindo a um aumento da produtividade e ao retorno do investimento em recrutamento pelo aumento da taxa de retenção.”

Os programas de mentoring envolvem sempre três partes com papéis distintos, e ainda assim responsabilidades partilhadas – os mentores, os mentees e a organização. A organização é central no programa na medida em que é responsável por planear, desenhar e avaliar o programa de mentoring ajustando o mesmo às necessidades estratégicas. Os mentores têm o papel de aconselhar e apoiar o crescimento do seu mentee, impactando de forma positiva o seu desenvolvimento; e os mentees têm o papel de procurar de forma ativa orientação e feedback, e estabelecer os seus objetivos para que a relação com o mentor seja mais proveitosa.

As responsabilidades partilhadas envolvem o compromisso que todos os intervenientes estabelecem, a responsabilidade de acompanhamento do processo, a partilha de experiências e a manutenção da confidencialidade.

mentoring

A existência de programas de mentoring nas organizações acelera o processo de aculturação e adaptação aos processos de trabalho, conduzindo a um aumento da produtividade e ao retorno do investimento em recrutamento pelo aumento da taxa de retenção. São ainda um aspeto valorizado por estudantes e new graduates que quando questionados, 60% identificam o mentoring como critério de seleção de uma organização em detrimento de outra (Fonte: MMHA).

Os programas de mentoring podem ser internos ou de outros tipos, com diferentes abordagens e objetivos que podem ser os mesmos do mentoring interno ou outros. Os programas internos mais tradicionais passam pelo mentoring formal, que consiste em programas estruturados para mentor e mentee, onde é estabelecido um acordo formal entre as partes e seguido um programa definido pela organização. O mentoring 1:1 informal ocorre quando um colaborador mais experiente (mentor) de forma informal se dirige a um colaborador menos experiente (mentee) de forma espontânea. Outro exemplo de mentoring é o de formação, que consiste num programa desenvolvido para suportar programas de formação que o mentee está a frequentar como forma de desenvolver competências específicas.

Para que sejam eficazes e uma ferramenta estratégica para a organização, é fundamental que o mentor desenvolva um conjunto de competências, comportamentos e estratégias para desempenhar o seu papel de forma efetiva. O mentor deverá ser capaz de escutar ativamente o mentee, ser assertivo e claro na forma como comunica, ter capacidade de dar feedback construtivo, manter o sigilo e confidencialidade, promover a socialização profissional entre outros.

mentoring

São diversos os tipos de programas de mentoring existentes. Para que sejam bem-sucedidos, é necessário estarem adaptados à realidade organizacional, serem apoiados pelos líderes, existir uma coordenação eficaz do programa, mentores preparados para assumir o papel e matches entre mentor e mentee adequados, apoio na continuidade e um assessment efetivo do programa.

Já está a pensar no programa de mentoring que melhor se adapta à sua organização?

Se tem interesse em receber comunicação da EY Portugal (convites, newsletters, estudos, etc), por favor clique aqui.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Programas de mentoring nas organizações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião