Adiamento de festivais “custa” 1,6 mil milhões de euros

  • ECO
  • 3 Setembro 2020

A previsão de quebra de volume de negócios na ordem dos 80% no setor dos festivais deverá significar menos 1,6 mil milhões de euros para a economia portuguesa.

A economia portuguesa deverá “perder” 1,6 mil milhões de euros por causa do adiamento de festivais, segundo o Jornal de Notícias (acesso pago) desta quinta-feira que cita um relatório anual da Associação Portuguesa de Festivais de Música (APORFEST). Este valor é equivalente às exportações anuais do setor do calçado e cerca de 0,8% do PIB de 2019.

Em causa está uma queda do volume de negócios na ordem dos 80% nas empresas que operam indiretamente no setor. Os quase 300 festivais que existiam em Portugal em 2019 geraram cerca de dois mil milhões de euros. Em 2020, o volume de negócios não deverá ultrapassar os 400 milhões de euros. A perda é também sentida nos concelhos que acolhem estes eventos.

A paralisação do setor está a afetar não só as empresas desse ramo, mas também a de transportes e da hotelaria, de acordo com o jornal, que acrescenta que o setor da cultura emprega 130 mil pessoas, “agora quase todas sem emprego”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Adiamento de festivais “custa” 1,6 mil milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião