Lucro da EDP cai 22%. Tem prejuízo de 32 milhões em Portugal

Queda do consumo de eletricidade durante o período de confinamento pesou nas contas da elétrica no primeiro semestre do ano.

Os lucros da EDP caíram 22% no primeiro semestre do ano. Com a pandemia a pesar nas contas do grupo, o resultado líquido situou-se em 315 milhões de euros. O negócio em Portugal voltou a ser negativo e os prejuízos agravaram para 32 milhões de euros, segundo dados revelados à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A queda dos resultados líquidos é explicada pela “forte redução de consumo de eletricidade nos seus principais mercados, sobretudo durante os períodos de confinamento impostos para combater a propagação da pandemia Covid-19, que coincidiram com a maior parte do segundo trimestre”, de acordo com a empresa. O volume de eletricidade comercializada na Península Ibérica baixou 7% e o consumo de eletricidade de clientes das distribuidoras no Brasil caiu 8%.

O EBITDA — lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações — cedeu 3% para 1.872 milhões de euros, refletindo ainda “o efeito adverso da taxa de câmbio (-57 milhões de euros devido à depreciação de 20% do real face ao euro)“. A dívida líquida aumentou 2%, situando-se em 14,1 mil milhões de euros no final de junho.

Antecipar fecho de Sines custa 130 milhões de euros

Além do efeito da pandemia no consumo de eletricidade, a antecipação do encerramento das centrais a carvão de Sines para 2021 — devido à “deterioração das condições de mercado Ibérico de eletricidade neste segundo trimestre, nomeadamente a redução da procura e o aumento do custo das licenças de emissão de CO2” — também pesaram nas contas. O custo extraordinário de antecipar o fecho de Sines é de 130 milhões de euros.

Entre as várias geografias, foi o negócio em Portugal a pesar, com um resultado líquido negativo de 32 milhões no primeiro semestre, prolongando dois anos consecutivos de prejuízos no mercado doméstico. Na Península Ibérica, a produção caiu 39% em termos homólogos, devido exclusivamente à redução da produção a carvão.

O número de clientes de eletricidade em Portugal e Espanha manteve-se estável em termos homólogos, com a EDP a manter o foco na qualidade de serviço e a alavancar no portefólio de clientes para aumentar o seu valor. De facto, a taxa de penetração de serviços novos aumentou em 6% em termos homólogos para 19,2% a junho de 2020, enquanto a taxa de dupla energia (gás e eletricidade) não registou variações significativas”, acrescenta.

(Notícia atualizada às 17h30)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lucro da EDP cai 22%. Tem prejuízo de 32 milhões em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião