Reino Unido prepara-se para reduzir quarentena através de testes

Os testes à Covid-19 poderão ser a solução para a redução do período de quarentena que os viajantes britânicos têm de realizar quando regressam de alguns países com a situação mais crítica.

A quarentena a que os britânicos são sujeitos quando regressam de viagens a países que não estão incluídos na lista dos corredores aéreos, devido ao número de casos de Covid-19, poderá ficar mais curta. O Governo está a considerar alternativas, entre elas a realização de testes ao vírus de forma a diminuir o tempo que os viajantes têm de ficar de quarentena, atualmente de 14 dias.

A ideia surge depois dos pedidos das empresas do setor das viagens e do turismo pedirem mudanças nestas regras. Matt Hancock, responsável pela pasta da Saúde, reiterou que um teste depois de aterrar no aeroporto não seria suficiente, mas adiantou que o Governo está a estudar possibilidades como a realização de um teste oito dias após a chegada, adianta a Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês).

A razão pela qual um teste no aeroporto não resultaria é por causa do período de incubação do vírus, em que não seria detetado num teste. Mas oito dias depois da chegada já seria uma melhor opção, sendo uma medida que o executivo britânico gostaria de implementar assim que seja prático.

“Estamos a tentar encontrar uma forma que nos permita reduzir a quarentena de uma maneira que também assegure a segurança das pessoas”, sublinhou o responsável do Governo britânico, em entrevista à rádio LBC, citada pela agência de notícias.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Reino Unido prepara-se para reduzir quarentena através de testes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião