Fed sinaliza juros próximos de zero por pelo menos três anos

A Fed sinalizou que não deverá subir as taxas de juro pelo menos durante os próximos três anos, poucas semanas depois de ter anunciado uma revisão da estratégia para a inflação.

A Reserva Federal dos EUA não deverá subir as taxas de juro pelo menos durante os próximos três anos, mantendo a taxa diretora no intervalo atual de 0% a 0,25%.

Essa é, pelo menos, a expectativa de 13 dos 17 responsáveis de política monetária que estiveram reunidos desde terça-feira, revelou o banco central em comunicado. Houve unanimidade quanto à manutenção dos juros durante 2021.

O comité de política monetária da Fed considera “apropriado” manter os juros baixos “até que as condições do mercado laboral tenham atingido níveis consistentes com o que o comité considera ser o máximo de emprego e a inflação tenha subido para 2% e esteja a caminho de exceder moderadamente os 2% durante algum tempo”.

No plano das perspetivas económicas, a Fed reviu em baixa as projeções para a taxa de desemprego, esperando que se fixe entre 7% a 8%, contra os cerca de 9% a 10% previstos em junho. Ainda assim, alguns responsáveis do banco central temem que os benefícios “rápidos” da reabertura da economia possam ofuscar “cicatrizes mais profundas” provocadas pelo impacto da pandemia.

Esta foi a primeira reunião da Fed desde que anunciou uma revisão estratégia no final de agosto, passando a ter como objetivo a taxa média de inflação e admitindo um cenário prolongado de juros baixos nos EUA. Com efeito, a Fed passou a tolerar subidas ou descidas temporárias da inflação, como aponta a nota emitida esta quarta-feira.

(Notícia atualizada pela última vez às 19h28)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fed sinaliza juros próximos de zero por pelo menos três anos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião