Cruz Vermelha tem 500 mil testes rápidos para oferecer a escolas e lares

  • ECO
  • 19 Setembro 2020

A Cruz Vermelha Portugal quer disponibilizar gratuitamente novos testes rápidos capazes de detetarem o novo coronavírus em apenas 15 minutos e quase sem erro. Governo estuda proposta.

A Cruz Vermelha Portugal quer disponibilizar gratuitamente novos testes rápidos capazes de detetarem infeções pelo novo coronavírus em apenas 15 minutos e quase sem erro, para utilização nas escolas e lares, avança o jornal Expresso (acesso pago).

Ao todo, são meio milhão de análises que a Cruz Vermelha, liderada por Francisco George, propõe oferecer e para as quais já recebeu financiamento internacional. Francisco George já fez uma primeira proposta informal, por mensagem de telemóvel, à ministra da Saúde, mas não obteve resposta. Ao jornal, o gabinete do ministério da Saúde diz que a “proposta está em análise”.

“Através de um protocolo para articulação com as autoridades de saúde, seria possível iniciar os diagnósticos ainda em setembro. Esta é a solução para cortar as cadeias de transmissão e mudar o paradigma da intervenção em saúde pública”, garantiu o ex-diretor-geral da Saúde.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Cruz Vermelha tem 500 mil testes rápidos para oferecer a escolas e lares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião