Hoje nas notícias: : gás, transações suspeitas e rendas

  • ECO
  • 22 Setembro 2020

Dos jornais aos sites, passando pelas rádios e televisões, leia as notícias que vão marcar o dia.

Ter gás em casa custa mais do dobro a 2,6 milhões de famílias portuguesas, com as que vivem no interior a serem as mais penalizadas. Sobre a recente fuga de informação a envolver grandes bancos mundiais que terão permitido que mais de dois biliões de dólares fossem movimentados em transações suspeitas, sabe-se agora que 120 transações suspeitas também passaram por Portugal, envolvendo o BES, BIC e o Crédito Agrícola. A pandemia continua a marcar a atualidade nacional, com a ministra da Saúde a adiantar que 60% das camas destinadas a doentes Covid-19 na região de Lisboa estão ocupadas.

Gás custa mais do dobro a 2,6 milhões de famílias

Gás custa mais do dobro a 2,6 milhões de famílias. As mais penalizadas são as famílias que vivem fora dos grandes centros urbanos, que não têm acesso ao gás canalizado e, por isso, pagam em média anual mais 230 euros. Leia a notícia completa no Jornal de Notícias (link indisponível).

120 transações suspeitas passaram por Portugal

É a mais recente fuga de informação que está a dar que falar e apanha em cheio o setor financeiro. Grandes bancos mundiais permitiram que mais de dois biliões de dólares fossem movimentados em transações suspeitas, identificadas pelos próprios como potenciais operações de lavagem de dinheiro. Agora, com base nos 2.100 documentos obtidos pelo BuzzFeed News e partilhados com o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ), sabe-se que 120 transações suspeitas também passaram por Portugal, envolvendo o falido BES, mas também o então BIC (agora EuroBic) e o Crédito Agrícola. Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (acesso pago).

Rendas antigas beneficiam de proteção de dez anos

As rendas antigas que tenham sido atualizadas e que ainda estejam abrangidas pelo período transitório beneficiam do alargamento da proteção de cinco para dez anos, que foi implementada em 2017. Esta é a conclusão da justiça, que começa agora a emitir sentenças para casos relacionados com o tema e que opõem inquilinos e senhorios. Num acórdão recente, o tribunal decretou que apesar de o período de transição de cinco anos para o Novo Regime do Arrendamento Urbano não ter decorrido à data da entrada em vigor da lei de 2017 (por via do qual a proteção passou de cinco para dez anos, “aos contratos de arrendamento dos autos aplica-se este novo prazo”. Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (ligação indisponível).

Eleições para a CCDR têm seis candidatos para cinco lugares

As eleições indiretas para as comissões de coordenação e de desenvolvimento regional (CCDR) envolvem mais de 10.500 presidentes da câmara. O prazo para as candidaturas termina amanhã e até agora há seis candidatos para ocuparem cinco lugares são eles: José Apolinário, António Cunha, Teresa Almeida, António Ceia da Silva, Isabel Damanesco e Roberto Grilo. Os primeiros cinco foram indicados pelo PS e PSD, já Roberto Grilo avança como candidato independente às eleições da CCDR do Alentejo, a qual preside. Oiça o podcast completo no P24 do Público (acesso pago).

60% das camas disponibilizadas para doentes Covid-19 na região de Lisboa estão ocupadas

Das 500 camas disponibilizadas para doentes infetados por Covid-19 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 300 já estão ocupadas. “Mas são 300 das 500 que fazem parte das 7.000. Ou seja, temos esta capacidade de ir adaptando as respostas àquilo que são as necessidades de cada momento”, garantiu Marta Temido. A ministra da Saúde colocou ainda, para já, de parte a possibilidade de um confinamento geral, justificando que já se percebeu, que “tem uma eficácia menos importante do que no passado”. Veja a entrevista completa no Telejornal da RTP (acesso livre).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Hoje nas notícias: : gás, transações suspeitas e rendas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião