Lucros da Sonangol caem para 106 milhões em 2019. É metade do ano anterior

  • Lusa
  • 22 Setembro 2020

O ano de 2019 foi o último em que a petrolífera angolana registou vendas como concessionária nacional. A Sonangol realizou investimentos de 1.478 milhões de dólares.

Os lucros da Sonangol recuaram em 2019 para 125 milhões de dólares (106 milhões de euros), cerca de metade do valor registado em 2018, segundo o relatório e contas da petrolífera estatal angolana divulgado esta terça-feira.

Num comunicado divulgado esta terça-feira, a Sonangol adianta ainda que os resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA, na sigla em inglês) se fixaram em 4.779 milhões de dólares (4.067 milhões de euros), mais 10% do que no exercício anterior “fruto da estabilização das receitas e da forte redução dos custos”.

Em 2019, a Sonangol produziu cerca de 232 mil barris de petróleo/dia “praticamente em linha com o período homólogo”, enquanto a produção de gás aumentou 6% para 417 toneladas métricas e a de LNG (gás natural liquefeito) teve um acréscimo de 8%, atingindo um milhão de toneladas métricas.

A produção de produtos refinados cresceu 37%, num total de 2,4 milhões de toneladas métricas, após o reinício das operações da refinaria de Luanda. Foram também importados 2,9 milhões de toneladas métricas de produtos refinados, mais 6% do que em 2018. As vendas totalizaram 10.231 milhões de dólares (8.702 milhões de euros), o que representa uma redução de 4% face ao período homólogo.

O ano de 2019 foi o último em que a petrolífera angolana registou vendas como concessionária nacional, bem como os custos referentes a essas transações, ocorridas entre janeiro e abril desse ano.

Em maio de 2019, a Sonangol deixou de exercer a função de concessionária, que passou a ser atribuída à Agência Nacional de Petróleo, Gás e Combustível (ANPG) “com o sentido de permitir que a empresa fique focada na sua cadeia primária de valor”, refere a nota.

Os custos operacionais desceram cerca de 11%, atingindo 5.550 milhões de dólares (4.677 milhões de euros), enquanto o serviço de dívida representou 1.851 milhões de dólares (1.574 milhões de euros), tendo a empresa fechado o ano com um ‘stock’ de 5.034 milhões de dólares (4.282 milhões de euros), mais 13% do que no período homólogo. A Sonangol realizou também investimentos de 1.478 milhões de dólares (1.257 milhões de euros).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lucros da Sonangol caem para 106 milhões em 2019. É metade do ano anterior

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião