Dados do desemprego nos EUA desanimam Wall Street

Dados piores do que o esperado relativamente ao mercado laboral nos Estados Unidos penalizam o sentimento em Wall Street.

Wall Street prolonga as quedas da sessão anterior, num dia em que os investidores estão desanimados com os dados do mercado laboral nos EUA. Um aumento acima do esperado nos pedidos semanais de subsídio de desemprego sinalizou que a recuperação do mercado de trabalho está a abrandar e que mais apoios serão necessários para evitar mais despedimentos.

Os pedidos de subsídio de desemprego semanais nos EUA foram piores do que o esperado. Os primeiros pedidos de apoio totalizaram os 870.000 na semana que terminou a 19 de setembro. Já o grupo dos pedidos contínuos, que receberam apoio pelo menos duas vezes consecutivas, diminuiu ligeiramente, mas mesmo assim ficou acima do previsto.

O industrial Dow Jones cai 0,18%, para 26.716,09 pontos, enquanto o S&P 500 recua 0,33%, para 3.226,14 pontos. Já o tecnológico ​Nasdaq perde 0,77%, para 10.551,02 pontos.

Nas quedas, destaque para a IBM, que recua 1,54%, para os 116,99 dólares, e para a Boeing, que cai 2,44%, para os 147,57 dólares. Nota também para a Tesla, que continua a desvalorizar, depois do evento dedicado às baterias. As ações da fabricante de carros elétricos perdem 2,89%, para os 369,36 dólares.

Já as tecnológicas arrancaram o dia em queda, mas rapidamente inverteram a tendência. A Apple ganha 1,06%, a Amazon sobe 0,84% e a Alphabet, dona da Google, avança 0,93%.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Dados do desemprego nos EUA desanimam Wall Street

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião