Millennium bcp assina compromisso “Global Compact” das Nações Unidas

  • ECO
  • 24 Setembro 2020

Esta declaração de compromisso foi assinada por mais de 1200 CEO, oriundos de mais de 100 países.

O Millennium bcp anunciou esta quinta-feira que o CEO do banco, Miguel Maya, assinou a declaração internacionalStatement from Business Leaders for Renewed Global Cooperation”, que tem como objetivo demonstrar o “compromisso com uma liderança ética, assente em boas práticas de governance, materializada através de valores, estratégia, políticas, operações e relações de proximidade e envolvimento com todos os stakeholders”.

Esta declaração de compromisso foi assinada por mais de 1200 CEO, oriundos de mais de 100 países.

“Na transição para um mundo mais sustentável temos – cidadãos, empresas e instituições – a responsabilidade de promover as alterações aos nossos comportamentos, individuais e coletivos, de modo a implementar modelos de desenvolvimento económico e social que fomentem a prosperidade, a criação de emprego, a valorização das pessoas e o respeito pela biodiversidade. O Millennium bcp quer ser um protagonista ativo da mudança que se pretende efetuar, e assume o compromisso de partilhar com as comunidades que servimos, divulgando, os objetivos a que nos propomos e as metas que alcançamos. A subscrição desta declaração de compromisso é disso um exemplo, mas também o expresso no relatório que esta semana publicámos no site do Banco, relativo aos contributos do Millennium bcp para os objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas”, disse Miguel Maya, CEO do Millennium bcp, citado em comunicado.

O banco é membro do Global Compact desde 2005, tendo também assumido o compromisso de contribuir para a implementação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Millennium bcp assina compromisso “Global Compact” das Nações Unidas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião