Hospital de Viseu avança com obras nas urgências após luz verde do Tribunal de Contas

  • Lusa
  • 25 Setembro 2020

Centro Hospitalar Tondela Viseu vai avançar com a requalificação do serviço de urgência. Um investimento superior a seis milhões de euros que teve luz verde do Tribunal de Contas.

O Centro Hospitalar Tondela Viseu (CHTV) vai avançar com a requalificação do serviço de urgência, num investimento superior a seis milhões de euros, uma vez que tem o visto prévio do Tribunal de Contas.

“O CHTV vai avançar com a requalificação do Serviço de Urgência Polivalente (SUP) com a consignação da obra dentro de um mês. Com a dispensa de visto prévio por parte do Tribunal de Contas, será possível consignar a obra num prazo de 30 dias e iniciá-la um mês depois, prevendo-se a sua conclusão no primeiro trimestre de 2022”, assume a administração.

Numa nota de imprensa, a administração explica que através do projeto de investimento intitulado de Alargamento e Remodelação das Instalações da Urgência Polivalente, o CHTV “pretende criar as condições de infraestrutura e equipamento que o SUP necessita”.

Condições que têm por objetivo “responder, de forma adequada, às solicitações das populações da sua área de influência, e ao definido pela tutela da saúde em termos de carteira de serviços e níveis de resposta dentro do Serviço Nacional de Saúde”.

“O investimento é de cerca de 6,4 milhões de euros, com uma contrapartida de FEDER aprovada de aproximadamente 4,6 milhões de euros”, esclarece um comunicado de imprensa, que adianta que a intervenção prevista “irá permitir diferenciar o serviço de urgência” do CHTV.

Vai “possibilitar o atendimento diário de mais especialidades, aumentar a capacidade de atendimento em picos de grande afluência e tratar, com melhores condições, os doentes mais complexos, provenientes das suas áreas de intervenção e de referenciação”.

“Deste modo, será possível diluir as assimetrias territoriais em matéria de acesso e da qualidade assistencial, por via da redução dos tempos de espera e pela disponibilidade de mais serviços médicos diferenciados, visando a satisfação integral das necessidades da população, particularmente da localizada na zona interior centro”, defende a administração.

Na nota, os responsáveis assumem ainda que “este projeto pretende dar um contributo importante ao fortalecimento da coesão social e territorial, diminuindo as desigualdades de acesso a cuidados de saúde existentes”.

Este visto do Tribunal de Contas vem na sequência da realização de um novo concurso público, que saiu em Diário da República em 23 de janeiro, depois de no procedimento anterior as empresas terem recusado as condições financeiras do concurso, por estarem abaixo dos custos praticados pelas novas condições de mercado”, uma vez que se passaram dois anos entre o concurso e a autorização para as obras avançarem.

Esta obra é há muito reclamada, tendo o seu atraso motivado críticas de políticos e da sociedade civil com diversas manifestações ocorridas e moções de protesto aprovadas em assembleia municipal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Hospital de Viseu avança com obras nas urgências após luz verde do Tribunal de Contas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião