Augusto Santos Silva afasta crise política: “A dramatização não faz sentido”

  • ECO
  • 1 Outubro 2020

O ministro dos Negócios Estrangeiros rejeita a ideia de que há razões para haver uma crise política por causa do OE 2021 e deixa elogios ao atual Presidente da República.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, diz que não há “nenhuma razão” para haver uma crise política por causa do OE 2021. Em entrevista conjunto ao Público (acesso condicionado) e à Rádio Renascença (acesso livro) esta quinta-feira, o dirigente socialista considera que Rui Rio não deve deixar a oposição, apesar de apelar à responsabilidade também do PSD.

“A dramatização não faz sentido”, diz Augusto Santos Silva, argumentando que face ao que prevê que esteja no Orçamento do Estado para 2021 não acredita que este venha a ser chumbado pelo Parlamento. “Não vejo substantivamente nenhuma razão para essa crise“, acrescenta. Mais: o ministro considera que as notícias de afastamento do PCP face ao Governo “são manifestamente exageradas”.

Relativamente às eleições presidenciais, Santos Silva deixa rasgados elogios ao atual Presidente da República: “Foi muito importante este equilíbrio entre uma AR de maioria de esquerda, um Governo de centro-esquerda claramente europeísta e um Presidente que vinha da direita”. Para o dirigente socialista, “o país lucrou imenso com isso” pelo que “o PS, quando decidir, deve ter esse elemento em conta”. A decisão acontecerá a 24 de outubro na reunião da comissão nacional.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Augusto Santos Silva afasta crise política: “A dramatização não faz sentido”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião